28.5.15

E a montanha russa ataca novamente

Final de semana passado teve Curso Básico de Foto, e foi lindo! Peeeeense numa turma boa, num momento bom de aprendizado múto? Pois foi ainda melhor! Nem o céu cor de chumbo e a chuva fina que caiu perturbaram nossa paz e nossa experiência!

Tanto, que postei assim, no facebook/instagram:



Encerrando as atividades da 16a turma do Curso Basico de Fotografia e naquela pegada: Morta de cansada mas com felicidade exalando pelos poros. Uma turma linda, com gente linda (alguns sabiam que eram, outros descobriram), um tempo de aprendizado mútuo e a certeza de que essas amizades não foram feitas pra durar um final de semana!
Obrigada, gente! #cursodefoto #turma16 #amomeutrabalho

Coisa de meia hora depois, um telefonema, notícia triste, desconsolo… esquecer meu cansaço e cuidar das dores dos que me são caros. O domingo terminou com meu coração em frangalhos. Daquele jeito: queria fazer alguma coisa mas não posso fazer nada; queria dar colo e quero colo; sofro com o sofrimento de quem eu amo e não estou perto pra dar nem um abraço…

Os dias passam e o vai e vem da gangorra (ou a subida e descida do carrinho da montanha russa) continuam.

Vontade de desistir alternando com novos planos, meus problemas versus os problemas dos outros, cansaço mortal e empolgação total... Estou desconfiando seriamente que tenho algo no estilo de transtorno bipolar.

Tá, relaxem, isso é draminha da minha parte. Já fui no psiquiatra e não sou bipolar (aliás, segundo ele, quem é, nem desconfia).  Mas que estou cansada desse vai-e-vem, estou. Queria tannnnnto que já chegasse julho pra eu me jogar no mundo com Marido e esquecer que existe prova e TCC pra corrigir, aula estruturada pra colocar no portal e 70Km pra rodar na estrada toda noite... Espero SINCERAMENTE que os ares exotéricos de Macchu Picchu me ajudem a preparar o espírito pra a segunda metade do ano (não aguento nem pronunciar a palavra "semestre", trauma de professora, entendedores entenderão).

Ainda bem que a diarista está aqui hoje, porque com a energia que estou, não rolava lavar um copo. :p

Agora chega de desabafo, e volta, Isaura, pro tronco, que o tempo não pára.


10.5.15

Sobre o Dia das Mães

Ano passado eu fechei o notebook e desconectei o celular no sábado, véspera do fatídico Dia das Mães, para só acessar redes sociais e afins na segunda, depois que tivesse passado a euforia de posts fofos e fotos com a mamãe.

Tinha motivos pra isso:

1. Váaaarios anos com os filhos longe e sem grandes memórias para alimentar a alma e atenuar a saudade.

2. Minha relação com a minha mãe não é a melhor do mundo, como todo mundo (que me lê aqui) sabe. Como não tinha aquelas coisas lindas pra dizer, melhor ficar calada, né não???

Fora que me incomoda ouvir/ler sobre a maravilha que são as mães: umas santas que se sacrificam e só pensam nos filhos, nunca erram e não há nelas uma pontinha de egoísmo e amor próprio. Ah, e ainda tem a parte de que elas têm um “amor incondicional que nunca exige nada em troca”. Uma mega monster mentira, vamos combinar.

Mas este ano a coisa parecia ser diferente. Line  comprou passagem pra passar o dia das mães AND meu aniversário comigo! \o/ \o/ \o/ TODOSCOMEMORA

Então, apesar da chegada dela estar prevista para as 15:50h de hoje, ainda seria no “Dia das Mães”, eu estava animada! Acordei cedo, dei presentinho (da Mary Kay) pra minha mãe, tirei foto, postei no facebook…

Mamãe 2

E ainda cacei foto minha com os filhotes (não encontrei nenhuma de mim com os dois), encontrei algumas feitas na Fazenda Yrerê quando eles vieram para os 90 anos do vovô. Fiz duas montagens e fiquei na maior dúvida de qual usar como “foto de capa”. Vejam:

Capa 2

Capa 1

A primeira foi posando, e a segunda é a realidade de quando eu agarro e beijo as pessoinhas. Cada um com uma cara mais “satisfeita” que a outra, com meus beijos. Eu poderia até ficar chateada com esse tipo de reação (e até que ficava, um tempo atrás), mas hoje já entendi que não é pessoal… é coisa de filho, como mostra esse vídeo da Ypê:

Então tá, levei na esportiva e terminei colocando a segunda foto, a mais real.

O dia havia amanhecido com um sol lindo, o que me tranquilizou com respeito ao pouso da aeronave, que aqui só acontece quando há total visibilidade do piloto em relação à pista.

IMG-20150510-WA0000

Fui almoçar com Marido, Mami e Papi, e foi tudo lindo. A expectativa da chegada de Line aliviava qualquer coisa que por desventura não estivesse dando certo. Perto de 14:30h ela manda mensagem, dizendo que estava entrando na sala de embarque em Salvador (saiu de Recife às 8h), mas que o voo estava trasado. O site da Infraero dava tudo OK, horário do voo como “previsto”. Sem “confirmar”, mas também sem registrar o atraso. Enquanto falava com ela via whatsapp, o site atualizou automaticamente e deu o voo como “cancelado”. Desesperei, mas não podia assumir isso pra ela.

IMG-20150510-WA0010

Enquanto ela foi verificar com a companhia aérea o que estava acontecendo, eu dividia a atenção entre o site da Infraero – que começou a ter somente dois status para todos os voos saindo de Salvador: “Contactar a Cia Aérea” ou “Cancelado” – e o céu, pro lado do mar, que começou a ficar nublado e com nuvens escuras mesmo.

IMG-20150510-WA0006

Chorei, orei, desesperei total… e as notícias que vieram de lá não foram animadoras: a cia aéra providenciou um ÔNIBUS pra trazer os passageiros, porque havia um BURACO NA PISTA do Aeroporto Dois de Julho!!!

O tal ônibus só saiu de lá depois de 17:30h, e a previsão de chegada é depois de meia noite. Pensei em dormir pra não ver o tempo passar, mas já são 21h e minha cabeça só dói, e nada de sono.

Oh, Senhor… o Dia das Mães continua a ser uma data-pesadelo pra mim…

Detalhe: Abelzinho não ligou, não mandou mensagem, não se manifestou, além de “curtir” a bendita foto de capa no facebook. Eu devo mesmo ter nascido com uma marcação pra não festejar o dia das mães.

12.4.15

Contioutra – Rubem Alves e Sherazade

Tá certo que fiz uma listinha de posts futuros, mas já vou começar fugindo dela, por uma boa causa.

Ultimamente tenho clicado em alguns links com algo em comum: o site “ContiOUTRA”. Somente hoje fui fuçar o site e descobrir  que é um ajuntamento bacana de gente legal que escreve ou republica textos bem interessantes. Considerem isso uma informação relevante!

Pois o link de hoje foi um texto de Rubem Alves – que me encanta desde meus 17 anos – sobre  As mil e uma noites. Pois, o filósofo conta resumidamente a história e comenta, linkando com a realidade dos relacionamentos a dois. Gostei tanto, que corri aqui pra compartilhar! Termina assim:

“As mil e uma noites são a estória de cada um. Em cada um mora um sultão. Em cada um mora uma Sherazade. Aqueles que se dedicam à sutil e deliciosa arte de fazer amor com a boca e o ouvido (estes órgãos sexuais que nunca vi mencionados nos tratados de educação sexual…) podem ter a esperança de que as madrugadas não terminarão com o vento que apaga a vela, mas com o sopro que a faz reacender-se.” 

Vão ler o texto todo!