21.1.06

Dores e sabores

Qual é o gosto da dor? Com certeza não é doce. Sei disso porque a frase que me vem à ponta da língua quando vou falar de dor, é: "tô amargando uma enxaqueca..." (ou seja lá que dor for).

Não sei se já disse aqui, mas é outra das minhas "teorias", que na minha vida é mais do que comprovada: A maior dor é a dor da hora, aquela que a gente está sentindo AGORA.

Depois que passa é difícil dimensionar. Mas na hora, parece que nunca houve outra maior. Acho que vou fazer uma enquete aqui no "deixo ler", perguntando qual é a pior dor (respondam nos comments) e sei que virão muitas respostas diferentes. Mas se eu tiver que responder, sem sombra de dúvida digo: é a dor de agora.

Já passei por quase todo tipo de dor (menos cólica renal): de dente, (incluindo de tratamento de canal), de cólica menstrual (de endometriose, que é de matar!), de cólica intestinal, de unha extraída, de unha encravada, de ouvido, de gases, de pé torcido, de pancada no "pau da canela", de dedo fechado na porta do carro, de testa na porte de vidro, de cabeça na quina da janela, de vários cortes cirúrgicos, de uma cesariana com anestesia superficial, de torcicolo, de bife de manicure, de espinho embaixo da unha, de pé de cabelo, de língua mordida até sangrar, de coluna, de tendinite, de fratura exposta, de cotovelo, de decepção, de quem nunca malha e faz uma ginasticazinha relenta e fica com dor de tudo, de dengue que dói o corpo todo do cabelo até o pé, piorando no fundo dos olhos... (se lembrar de mais alguma depois acrescento) MAS... a pior é a de enxaqueca! (É a de agora!!!)

Sabe aquela dor que não deixa raciocinar? É essa. Enxaqueca é um troço que mexe com o corpo todo, dói tanto que dá vontade de vomitar. (Mentira, a náusea é "somente" uma das partes da enxaqueca, mas a sensação é de que é uma resposta do corpo ao tamanho da dor de cabeça). Eu poderia passar horas aqui tentando descrever a infeliz, mas não conseguiria, porque a primeira coisa que ela faz é impedir a concentação. Não tem comparação pra a dor de enxaqueca. E segundo os vários médicos que consultei, a minha é "clássica", daquelas "de livro": pulsante; concentrada em um dos lados do crânio ou na nuca; piora com claridade, barulho ou movimento; vejo "pontos de luz" no início dela, anunciando a crise; acompanhada de náuseas, mas sem vômito; dura no mínimo 24h, podendo chegar a 1 semana; tá bom ou querem mais??? Os olhos quase não ficam abertos, e a gente fica querendo segurar a cabeça com as mãos, pra evitar que os pedacinhos caiam, porque parece que tá tudo solto.

Qual é o gosto que isso tem? Gosto de desespero, porque parece que não vai passar nunca. Mas passa. E depois a gente esquece, talvez por um mecanismo de autodefesa, talvez porque lembrar seja sofrer de novo. Mas a prova de que eu esqueço depois que ela passa é que se o remédio acabar, só vou comprar depois que começar uma outra crise. É verdade que remédio pra enxaqueca nem existe, mas a gente tem que tomar alguma coisa só pra aliviar a consciência, pra achar que tá fazendo alguma coisa. (Ó, eu aceito sugestões, desde que não sejam daquelas: "amasse 257 sementes de não-sei-o-que e misture com cocô de pombo, torre e sopre por cima do ombro esquerdo enquanto dá três pulinhos" - dar três pulinhos é a pior parte, juntando com virar a cabeça por cima do ombro.)

Bom, do jeito que as dores passam (nem todas, a da coluna não passa nunca), espero que os problemas também... porque entram na mesma regra: o pior problema, o maior, é o de agora. Assim... tô torcendo pela passagem do tempo, pra que chegue a hora da troca de problemas (a gente nunca fica sem eles) mas os de agora estão me enchendo o saco, passando da hora de se resolverem!

Tô indo deitar... nem digo que vou dormir, porque já sei que só vou dormir legal quando a crise passar. Mas como tô cansada mesmo... vou deitar e ouvir uma musiquinha (bem baixinho - o vício de só dormir com música não pode ser suprimido nem com a intolerância a qualquer som) e esperar... esperar... que ela vá embora. Boa noite!

Ouvindo "Let it be" - The Beatles / "Mais uma Canção" - Los Hermanos / "It's Me" - Alice Cooper

16 comentários:

Eliane Neves disse...

Tem dor maior do q vc ver um amigo com dor e não poder fazer nada?!

Leandro disse...

Poxa, Bel. Muito obrigado por compartilhar essa história tão edificante conosco. O medo dessa dor vai aterrorizar minhas noites de sono para o resto da vida.

Bom, na tabela de dores, as de rim e de dente são campeás. Mas, agora, o medo dessa dor horrível é a pior que existe.

Agora, a dor de quem teve que passar por uma tração (máquina usada para juntar os ossos por traumatologistas) e a dor de ter seus dedos perfurados na ponta para colocar pinos com o fim de estabilizá-los e calcificá-los, não é fácil.

Bel disse...

Tá vendo, Li? A dor maior é a de agora!!!

Bel disse...

Lele, não se preocupe... enxaqueca é doença de adolescente, que se prolonga por toda a vida. Quem não começou a tê-la na adolescência, não terá mais. Imaginme aí, sofro disso desde os 13 anos, pelo menos é quando me lembro da primeira vez que não consegui abrir os olhos... E meu filho tem desde os 6!!!

Bel disse...

EU NÃO MEREÇO ISSOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO!!!!!!!!!!

Leandro disse...

ENQUETE

Qual provação desumanamente horrível você acha que falta para a Bel passar e, assim, completar sua lista de dores e ver que tudo poderia ser bem pior.

A) Dor de cotovelo incessante

B) Acordar e perceber que ela não é mais ela e sim a Sol, da novela América. E ter que passar pelas mesmas agruras, tristezas, decepções e desgraças. Tadinha dela.

C) Voltar no tempo como uma adolescente dos anos 80, só que com a consciência de adulta e ter que escutar e amar os Menudos, Banda Garfite e Dominó.

D) Passar o resto da vida como uma BBB

E) Dor de corte de papel nos dedos ou na mão seguida de banho de éter

F) Jogar pedra no Chico Buarque e dizer: a Geni é minha prima, desgraçado!

G) Fazer plástica e ficar com a cara do Zé Ramalho

H) Na próxima vida, nascer mulher outra vez

I) Receber a visita de Deus e ouvir dele que na próxima vida ela vai nascer na Argentina que, por sua vez, será um país ditatorial e seu “comandante� será o Lulla e o Maradona o grande amor de sua vida.

J) Todas as alternativas a cima, mais todas as dores que ela sente sempre. Só pelo mórbido e sádico prazer de ser infeliz

Bel disse...

Ih, o blogspot é tão doido quanto o orkut: a resposta saiu em cima da enquete!!!!!

regina disse...

dificil de responder..cada dor q a gente sente, parece ser a pior.entao...a pior é´a de agora..eu acho.
fantastico, esse seu escrito.

Eliane Neves disse...

kkkkkkkkkkkk. Leandro, esta foi muito boa! Acho q todas as alternativas nos faz ver q as coisas poderiam ser bem piores.

renata disse...

Não sei qual a dor mais dolorida, o que sei é que as dores são parte da existência humana. Tanto as físicas quanto as emocionais.
É parte do jogo.
A gente tem é que enfrentar

line disse...

dor de dedinho do pé que levou uma topada da porta traiçoeira...
(e foi agorinha...)
aaaaaaaaaaaaaaaaaaaai!

J Lívio disse...

Dor nso discos das costas, qdo eles decidem entrar em pânico (hérnia de disco)e qdo isso acontece as 2h da manhã e vc tem que ia a emergência do hospital levado pela esposa...nem a dor de pedra nos rins é pior, e olha que essa é pra lá de dolorida.

Di disse...

Bel, vc é uma figura!!! Só discordo de uma coisa: o fato de vc se referir à enxaqueca como "a minha". Pq se vc já assumiu que ela é sua imagino que ela se sinta sua proprietária tb! Como um imóvel que a gente tem e a qualquer momento pode adentrá-lo, mais ou menos isso...
... essas coisas não quero ter não, rssss.

Lilian Paula disse...

Dor... acho que a pior dor não é aquela que é intensa mas aquela que perdura que se prolonga por tempo em demasiado longo como a dor de consciência, a dor do ego ferido... mas como todas as dores elas tbm sempre passam...

Anônimo disse...

Dor é aquela q dói. kikkaiakaaiakai
Véi a pior dor é a dor emocional, pq essa é difícil de superar. a dor física não. A qualquer instante ela para. bjão

Georgia Aegerter disse...

Olha, devo concordar com o anônimo em parte. Porque ela tb com o tempo passa e cura.
Mas a enxaqueca, ela é insuperável. Só de pensar me vejo neste leito de dores. A minha quando vem dura de 2 à 3 dias e ponho tudo prá fora pelo menos umas 7 vezes por dia. Nâo é conta de mentiroso nâo. No último dia ponho para fora 3,o estômago dói, pois nada tem, mas tb sei que ela já está indo embora. E imagina com 2 criancas para cuidar e fazer tudo sozinha, porque aqui nâo tenho nenhuma família por perto.
Para mim, a dor da enxaqueca, é infinita, mesmo depois q se foi só de falar o seu nome já serve prá gente entrar em pânico.