14.1.06

Voltei!... Mas corro o risco de ficar repetitiva...


Voltando à vida... depois de dias horrorosos, largada na cama quando dava, e quando não dava, fazendo o maior esforço pra abrir os olhos... e com um humor... Eca!!! Até eu tava com nojo de mim! (imagine quem teve que me aguentar!)

Jamais seria a musa de "todo dia ela faz tudo sempre igual..." meus dias são todos diferentes! "E daí?" você pergunta, pensando que pra todo mundo cada dia é único. Mas é que parece que pra mim é "pior"! Em cada dia eu encontro motivos pra vê-lo (ao dia) como uma "viagem", uma experiência fantástica de coisas novas...

Tenho encarado a vida como algo a ser "comido com uma colher grande". (Nada a ver com a fanta bamboocha).

E sendo assim... hoje foi o dia de mais uma realização! Não posso dizer que foi o "Churrasco dos radialistas", porque iria ouvir (como já ouvi): "Quantos radialistas você vai assar?" Foi o "Churrasco com os radialistas", um evento surgido nessa minha cabeça louca durante a "Mesa" da Semana de Comunicação. Juntar aqueles velhinhos maravilhosos pra conversar sobre o rádio grapiúna (pra os que não conhecem o termo, "grapiúna" é a região que compreende Ilhéus e Itabuna, entre outras cidades próximas) foi lindo, num ambiente formal como o auditório Jorge Amado, na UESC. Mas reuní-los novamente na residência dos Braitt, no São Miguel... de maneira informal e completamente à vontade... foi fantástico!


Vou explicar por que coloquei no título que "corro o risco de ficar repetitiva". É que cada vez que tenho algo sob minha responsabilidade eu fico mais maluca do que já sou. Estressada, exigente comigo mesma, angustiada, ansiosa... Mas imagino que Deus tenha um plano fixo comigo: Enrola tudo com aquele laço mágico, que parece que não desata nunca, mas na última hora puxa do jeito certo, com toda delicadeza e pluft! Tudo se arruma inexplicavelmente! Dá tudo certo, melhor impossível. E eu me pergunto: TEM QUE SER ASSIM???

A noite passada inexistiu, tanto pra mim quanto pra Flávia e Eliane. As três, malucas, estávamos tão preocupadas (já sei, pra quê ficar preocupada?) que o sono, se veio, veio recheado de pesadelos e sonhos no mínimo "estranhos". Fora o cansaço físico real, tinha o mental, o emocional... e a sensação de que podia dar errado, podia faltar comida, não tínhamos conseguido o "churrasqueiro", os convidados não iriam... era tanta coisa na cabeça, que não dava pra relaxar e dormir.


E o dia começou cruel! Descobri que não tinha entregue a CI pra pegar os gravadores!!! E agora? Todo o trabalho estaria comprometido. Fora que eu iria "ouvir" da Profa. e dos colegas! Nem sei como foi, mas o fato é que baixou o espírito da compreensão e ninguém disse nada. Tínhamos agora o meu gravador e o do projeto, além da flmadora. Tinha que ser suficiente.


Mas ainda faltava comprar a carne, gelo (daria tempo de gelar as bebidas?), fita, fazer os ajustes finais na comida... achar a casa... finalmente chegamos lá, debaixo de uma chuva de verão daquelas que parece que o céu tá derramando porque não cabe mais.

Não dá pra contar todos os detalhes, mas só depois de chegar lá é que a ponta do "laço mágico" foi puxada! Os novos amigos, Glady e Henrique Braitt foram presentes de Deus. Inexplicável existir gente como eles. Ramiro Aquino fez a "ponte" e... pronto! Estávamos instalados no lugar perfeito. O mínimo que posso dizer é que nem preparar o churrasco precisamos! Sem palavras ra agradecer a Deus e a cada um que ajudou de alguma forma. Vou dispensar a indireta que poderia dar a quem devia ter ajudado e não fez. (Vixe! E precisa???)

Voltamos pra casa e a cena era digna de registro, mas não foi. (Ninguém mais aguentava pegar na câmera!) Quatro deitadas na minha cama king size, (sendo 3 podres de cansadas, a outra era Line), com os olhos grudados na TV, esperando o jornal regional na afiliada da Globo, pra ver se saía a matéria que foi gravada lá. É claro que algo tinha que sair errado, porque nada no mundo é perfeito, e aconteceu um acidente na BR 101 na altura de Camacã, e a nossa matéria "caiu". Podem rir, eu deixo! A gente também riu!!! (Calminha aí, Rê!)

Assim... mais uma vez vou dormir sabendo que fiz o que tinha que fazer... e feliz com o sucesso da empreitada. E agora... o que será amanhã????

6 comentários:

re disse...

bel...vc se repete mas acaba se surpreendendo a cada dia. da proxima vez q tiver festa, contrata a minina aqui...mas vou cobrar bem caro. beijao. gtei das fotos

line disse...

é né..
tudo termina bem quando acaba bem... (eu sempre tive vontade de usar essa fraseee!)

mas quando o dia é bom, vale a pena contar os detalhes...
tinha q ser minha mãe pra fazer dar certoooo!
bjo

Georgia Aegerter disse...

Bel, mais uma vez fiquei aqui fascinada comtudo q vc escreveu e com tudo o q pude ver através das fotos q vc colocou. Sabe, me fez lembrar o livro q estou lendo da Zélia Gattai, "Vacina de Sapo", onde tudo acontece de maneira como se todos os personagens fossem parentes uns dos outros. Exatamente assim senti a sua narrativa desse dia q deve ter sido belíssimo embora ninguém possa ter visto por causa do tal do "estress" que chega assim para estragar grande parte da festa. Mas é tb por causa do tal do "estress" que tudo tem esse sabor maravilhoso. Sem ele nada seria deste jeito, creia-me.
Para amenizar esse seu estress, faca uma lista das coisas q vc sempre precisa ter qdo sai para filmar. Deixa na sua agenda, assim da próxima vez basta olhar a agenda para saber o que precisa ser levado. Como no caso do gravador. Passei a usar listas já prontas quando me tornei mâe pela primeira vez. pois vivia esquecendo de levar fraldas na sacola e etc. funcionou bem e amenizou o meu estress.
Para finalizar, eu achei TUDO ÓTIMO E MARAVILHOSO. VERDADEIRAMENTE CHEIO DE VIDA.

Um abraco

Eliane Neves disse...

É, com certeza fui eu quem "aguentou"! Mas não foi difícil, fui contemplada com uma paciência divina kkkk, quem acredita? Mas, amiga, só quero te pedir para não assumir sozinha tantas responsabilidades, quero que vc aceite que a equipe que vc trabalha (não posso dizer todos) está unida para o melhor e o pior e atenta o suficiente para não despejar em vc responsabilidades como a dos gravadores. Te amo e admiro cada vez mais.

Leandro disse...

Amanhã a luta continua companheira! Nossos meios de comnicação e esses acidentes na BR. Quem é que pode com eles. Quemserá contra eles? A má notícia continua sendo a boa notícia, não é mesmo.

Cida disse...

Oi Anabel, sempre leio seu blog, acho interessante a facilidade que vc tem para expressar e contar com detalhes tudo que ocorre contigo. Vc é surpreendente. Bjs