15.4.06

E eu me vou...


...deixando meu bebê aqui. Exatamente no dia do aniversário dela... quando tantas recordações vêm à mente. O destino ou sei-lá-o-quê faz dessas com a gente... Meu último dia perto dela tinha que ser o "primeiro"???

Lembro da dificulade pra engravidar, a constatação de que eu não ovulava, o Clomid que me fez engravidar de gêmeos... A emoção de saber que seriam dois (lágrimas de desespero - "o que eu vou fazer com dois bebês???") e a emoção de perder um deles (lágrimas de tristeza)... Lembro da gravidez de risco, a maior parte na cama, e os dois últimos meses curtindo o sol de Ilhéus, me sentindo linda com aquele barrigão num biquine, e tomando bronca do médico por estar tomando tanto sol...

Lembro que a data provável do parto era 1º de abril, e que depois dos "15 dias a mais" eu bati o pé pra fazer uma cesárea e Dr. Viriato não queria, mas quando fez, depois de minha insistência (eu não sou mole!!!) disse: "menina, seu Deus é forte, mesmo, a placenta não tinha mais nada, há pelo menos duas semanas... se demorasse mais 24h seu bebê não iria resistir!" Lembro da primeira vez que vi aquele trocinho minúsculo (2,280 Kg e 48 cm) mas com uma fome feroz, que mamou ainda na sala de parto...

E tantas outras memórias vêm... o cabelinho ralo que eu cortava com uma tesourinha de unha, à luz da lua cheia, pra ver se "rendia" mais... a "patinha" que adorava água, e pra acalmar bastava jogar na banheira ou no chuveiro, a "maria gasolina" que só dormia andando de carro... e do escândalo de hora marcada... ai ai ai... abençoada d. Anita que tirou a manha da criança que não podia ver a noite chegar que chorava 2 h seguidas, por não querer dormir!!! (Até hoje ela afirma que dormir é perda de tempo)

Lembro do bebê que nem sabia falar direito (o erre travado não saía) e já sabia ler com 3 anos... e com 4 cantava o Hino Naconal - e isso não é papo de mãe coruja, não! (Lembro também que passou em 8º lugar no vestibular da Federal e em 1º na Estadual!) E como essa criatura perdia o material escolar! Já cheguei a ir na escola e pedir à professora pra olhar na mochila dos coleguinhas porque era a cada dia um lápis, uma borracha... até hoje não sei o que acontecia, e ela agora não se lembra!!!

Parece que ainda vejo a tanquilidade dela tocando teclado no Teatro, e em vez de olhar pra o que estava fazendo, ficar se olhando no telão... E nas inúmeras apresentações de flauta doce... as vezes que cantou pra mim no "dia das mães" (homenagem pedida! kkkk) o niver de 15 anos tão peculiar, que nem dá pra descrever aqui...

E as nossas piadinhas particulares, que parecem não ter graça nenhuma pra mais ninguém, mas rendem crises de riso intermináveis!!! As sessões de cinema, nossas "Santa Clara movie nights" de toda quarta-feira... as propagandas da tv, que viram slogans só nossos... as trocas de mp3 via msn, os escritos com aquela letrinha minúscula... "tem pressa não, Inaura!"

É muita coisa rodando em minha cabeça, que nem dá pra escrever aqui. Sei que muito mais vai ficar... e vou reviver cada momento mil vezes... e vou saber que essas coisas ninguém pode me roubar.

Tenho procurado não pensar em como vai ser a casa sem ela... e sei que vai sobrar pra meu filhote, que não é tão meloso, mas vai ter que aprender a ser. Já disse a ele: "agora vamos ser 'eu e você, você e eu'..."

E por agora é só. A data do post vai sair 16 de abril, mas no meu coração ainda é dia 15. Daqui há algumas horas estaremos viajando... e só vai dar pra relaxar um pouquinho.

Nenhum comentário: