4.7.06

Eu discordo...

Esse post tem destino certo. Aliás, quase todos têm... mas este é declarado, e assumido. É pra você, Shê.

Você diz que vai "fechar seu blog pra balanço", porque não está bem. Eu discordo. E digo porque.

Comecei meu blog no meu pior momento. Se quiser, vai lá pra comprovar, o primeiro post depois da abertura do blog foi "Sobre lágrimas e seus motivos".

Vi minha filha sair de casa e sofri... apesar de saber que ela estava indo seguir o próprio caminho. Vi meu casamento mergulhar numa crise sem fim... que culminou com a separação. Sofri, sim. Mas digo a você... se não fosse esse *divã*, como diz a Line, e ainda mais, esse *divã grátis*... não sei se teria levado tão bem essa fase ruim.

Já explico. Comecei a escrever pra desabafar... nem me importava se teria leitores... na verdade, sabia que teria uns 2 ou três, mas esses mesmos, amigos que me conheciam bem, e para os quais nada seria novidade, já teria dito tudo, pessoalmente, via e-mail ou msn. Por que, então, escrever? Talvez imaginando que *mais alguém* viesse ler, e eu tivesse a chance de me expor a quem não queria me ouvir ao vivo. Mas não. esse alguém não veio. Nunca leu minhas linhas e entrelinhas.

Poderia ter desistido no auge da crise. No momento em que me sentia mais solitária, poderia ter me isolado mais ainda. Poderia ter deletado o blog inteiro, e assim apagado - ou tentado sem sucesso apagar - o sofrimento. Mas não. Os caminhos do blogword me levaram pra outro lado. Conheci pessoas maravilhosas - nem vou citar ninguém, pra não esquecer alguém e ficar mal na fita. Amigos que - já disse - me recuso a considerar virtuais. Recebi apoio, carinho, cuidado, amor, atenção, conselhos, presentes... sou tentada a dizer que "nem mereço", mas... acho que mereço, sim. A essas pessoas também dei de mim. Dei da minha confiança, ao me expor e abrir meu coração. Dei do meu tempo, ao ler seus blogs, e ao responder cada comment. Dei do meu amor, quando também me importei com elas. Dei de mim, como recebi delas. Bendita a hora que tive essa idéia... e à pessoa com quem dividi o projeto inicial, minha gratidão.( JL, não sumaaaaa!!!)

Hoje não dispenso esse espaço por nada desse mundo. E sei que isso aqui vai render muito, ainda. Se a Bruna Surfistinha publicou um livro contendo o que escreveu no blog dela, nós também podemos repartir com outros, fora da blogosfera, o que produzimos aqui. ("Sonho que se sonha só é só um sonho que se sonha só, mas sonho que se sonha junto, se torna realidade").

Mas não é por esse motivo que digo que você não deve abandonar seu blog. É que ali é *o lugar* onde podemos lhe encontrar. É a *sua casa*. É o lugar onde você manda, e mais ninguém. Decepções sempre vão existir, mas eu digo a você, olhar para trás não nos faz produzir. Olhar para trás serve como aprendizado, mas quando a ferida cicatrizar. Agora é hora de você olhar para frente. De descobrir que deixando de ser *basiquinha* você tem muito o que fazer da vida, e muito o que viver. Que quem não soube enxergar a preciosidade que é você, não merece ter esse tesouro. E que num rompimento todos perdem, mas como você se comporta depois pode lhe fazer ganhar muito mais do que você possuiu um dia. Descobrir que Deus tem um caminho novo pra você trilhar, e que seus amigos - mesmo *de longe* - querem participar desse seu novo caminho.

Bom, era isso que eu tinha pra te dizer. Desculpe ter tornado público, em vez de te mandar um e-mail, mas acho que pode ajudar outros *quase desistentes* também. Ah, e faz favor de me adicionar no orkut, tá?

Beijo, minha amiga. ;)

Nenhum comentário: