21.7.06

Postando direto da UESC... (Hehehehe)

O dia que começou com cara de terrível, está se revelando *melhor que a encomenda*! É, estou vendo que de fato é melhor esperar o pior e receber acima das expectativas!

Topicando:

1. Fez sol! (Só isso, já melhora 50% do dia!)

2. Decupei o vídeo em 40 min... fiquei com um tempinho livre. Puxei uma mesa pro sol na Cantina de Lelê, e fui redigir o texto do trabalho de Radiojornalismo e ler o texto do seminário da terça. Lucroooo!!!

3. Papinho com Flávia na reitoria... e revisão do meu relatório, que está praticamente pronto!!! Mais lucrooooo!!!

4. Almoço no RU (Restaurante Universitário, pra quem não domina o ambiente). Comidinha razoável, mas companhia ótima: Fá e Angie. Ainda mais lucroooo!!!

5. Captação de sonora pra radiojornalismo ok. A pilha do gravador acabou exatamente quando terminei de ouvir o resultado! Ufa, Murphy errou o alvo!!! (Hahahaha)

6. Tempo entre a aula e a edição... PC desocupado no lab! (Milagre!!!)

7. Pré-matrícula para o próximo semestre feita, via web. Lucrooo!!! Só que o horário... vamos combinar, tá de doer. Depois publico a imagem da criança e vocês vão ver que *presente*!

8. Lab de informática sem orkut e sem MSN, mas blogs entram sem problema. Então visitei os *de lei* e ainda deu pra *roubar* que nem a Ladra do Bem uma coisinha, que segue aí embaixo...

Cabou. Pra quem não ia postar... foi lucroooooooo!!!!!

Update 19:20h:

Muito mais lucrooooooooo!!!! A edição do vídeo-minuto foi muito massa!!! Em duas horas arrumamos a trilha, as imagnes de vídeo e as fotos. Tá certo que foi uma frustraçãozinha básica usar menos de 20 fotos quando tínhamos mais de 300... Mas era um vídeo-minuto né? Agora só falta a computação gráfica, que ficou pra segunda. Desistimos de usar o áudio do poema gravado, (sotaques, bah!) e achamos que as palavras escritas na tela têm mais força. Usamos "Esse seu olhar", na voz de Dick Farney como trilha. Queria Leila Pinheiro, mas a mulher arrastou demais, canta devagaaaar... e não cabia em 1 minuto, aliás, 54 segundos, que a gente perde 3 seg pros créditos e 3 seg pra o brasão da UESC.

Mas... com tudo que tivemos que mudar, ainda acho que ficou massa! Sabe realização? Ou melhor... REALIZAÇÃO??? É, essa sim é minha praia. Pensar a idéia, fazer o roteiro e ver tomar forma. Vídeo, não TV nem rádio. Espero poder ainda inscrevê-lo no Festival de Video-minuto Universitário. Quem não tenta nunca consegue, né? E desse medo eu não morro.

Ah, também vou inscrever dois contos no concurso da Editora Guemanisse, ponho no correio na segunda, depois de pagar a inscrição.

É, eu sou assim. Meto a cara e pronto. E tem dias que acordo mal, lembram? Mas vou dormir bem, tenho certeza!

Ainda vou sair com a loira hj, afinal... é sexta-feira!!!


O *roubo*:

Big Belém
"O sino da catedral toca como num ringue de boxe. A roda de pessoas na praça é enorme. No centro há dois lutadores. Eles se preparam pra brigar. Não estão usando luvas, nem armas. Usam tampões nos ouvidos. São seis horas. Os socos começam. O batedor magro, enquanto golpeia, grita a plenos pulmões. O lutador ruivo não percebe os gritos, pois mantém os olhos fechados.
Mas, de repente, ele é acertado com força na cabeça e perde os tampões. Ainda de olhos fechados, começa a distinguir entre os gritos histéricos da multidão uma voz que diz: “Eu te amo, me desculpe”.
Ele abre os olhos e descobre que a declaração está saindo da boca do seu oponente, junto com os golpe. Um sentimento estranho inunda seu corpo. Ele passa a desviar dos golpes e repetir uma frase em resposta. Tenta também retirar o tampão dos ouvidos do seu adversário, mas sendo que ele foge, decide como solução golpeá-lo com força na cabeça.
Funciona! Os tampões do batedor magro caem e ele escuta a voz do seu oponente dizendo: “Eu te amo também”. Então, os dois param espantados e se encaram. Embora a roda de apostadores continue gritando, embora nenhum dos dois esteja mais usando tampões, tudo é silencio e olhar profundo ao redor.
Passado alguns segundos, os braços dos lutadores vão se abrindo, seus corpos vão se aproximando, até que se abraçam. Como que por milagre, todas as pessoas que estão em volta vão lentamente se aproximando e se juntando aquele abraço também.
Eu, você, nossos familiares, nossos amigos, pessoas de outras cidades, outros paises, outros planetas, outras dimensões, todos nos juntamos como num big-bang de marcha ré. E o sino da catedral volta a tocar."

Sem autorização, dessa vez, mas como ele já autorizou outras... acho que não tem problema.
Direto de Xixi com tinta.

Nenhum comentário: