23.8.06

Ainda não é agora... mas quem sabe? - Terminou sendo só os "olhos".

OBS- estou colocando os links das fotos...

Pronto!

Estou em Curitiba, já... curtindo um friozinho esperto, que ainda não me deixou desesperada. Talvez porque esteja muito feliz de estar aqui, com pessoas que amo muito, ou talvez por já ter visto a coberta de lã de ovelha esticadinha ali na MINHA cama... e o chuveiro (e as demais torneiras) com água queeente de verdade e forte... bom, ainda não deu mesmo pra desesperar. O termômetro lá embaixo estava marcando 15 graus, quando cheguei, mas acho que agora está um pouco menos. (Informação dos habitantes locais: Temperatura de ontem: 3 graus.)

Nem sei se o prometido post sobre os “olhos e ouvidos” sai hoje. Escrevi à mão, na minha agenda, mas não é exatamente o que quero dizer hoje. Na verdade, são tantas coisas que têm aqui, querendo sair, que sinto que não vai sair nada. E o pior é que sei o motivo... coisas de cérebro DDA. A velocidade do funcionamento do cérebro é bem maior do que a de execução... e por isso a compulsividade em escrever, assim que as coisas – ou sentimentos – acontecem – ou afloram.

As experiências sensoriais foram intensas. Como disse o Sérgio, no comment no post passado, preparem colírios e cotonetes, porque é muita coisa no meu relatório. Fico pensando em como seria possível registrar tudo que tem marcado presença nos meus olhos e ouvidos nestes dias. Conheci um Rio diferente. Primeiro... um Rio sem sol. Dias cinzas, brancos... em nada parecidos com os que já vivi aqui (embora tivesse visto chuva no ano passado, também). Depois, coincidentemente ouvindo Chico cantar sobre "o avesso da montanha", dessa vez andei pelo subúrbio... Também conheci o Rio Imperial, as construções absurdamentes imponentes do centro da cidade, por todos os ângulos: Palácio Tiradentes visto de baixo, de cima, e mais de cima... por trás... Nada de zona sul, nada de passeios típicos de turistas. Maravilhosamente diferente!!!

Meus olhos foram acariciados por imagens de lugares tradicionais que eu só conhecia da tv, ou dos livros, como a Confeitaria Colombo e suas delícias 1, 2 e 3 opções (atenção no$$ preço$$$). O que é aquilo? Nunca me vi rodeada de tantos espelhos! Outra experiência deliciosa, apesar de não ter sido nova, foi o Municipal. Bem, não deixou de ser nova, pois desta vez foi cheio de gente, e "funcionando". Era pra ter sido o concerto de Mahler, mas por motivos que não necessariamente vêm ao caso, não pude assistir no sábado (grrrrr) aproveitei o programa do Governo do Estado, "Domingo no Municipal", pela módica quantia de 1 real, um espetáculo de balé... muito lindo!

Outro carinho nos olhos foi a exposição de Anish Kapoor, Ascension, no Centro Cultural Banco do Brasil, (que por si só já é uma explosão às vistas) uma loucura, completamente psicodélica, com peças enormes e que levam a uma ilusão de ótica e deixam com a sensação de que a gente não é nada... Infelizmente, não era permitido fazer fotos das peças...

Os vitrais gigantescos da Catedral do Brasil, onde me deitei num dos bancos pra tentar fotografar o teto... e fiquei tonta com o tamanho da construção...foram um espetáculo à parte, assim como o interior da capela do mosteiro de Santo Antônio, no Largo da Carioca. Olhar de lá de cima... é ter uma visão diferente daquele burburinho de gente. Num instante estava me sentinco acuada, apertada entre tantas pessoas... logo depois estava vendo tudo de cima, como se tivesse sido transportada para fora da história.

Mas nada se comparou ao "Panorâmico 42" do Edifício da Faculdade Cândido Mendes. Sei que até mesmo os cariocas podem se surpreender agora. Fui visitar a Jú, minha prima, que trabalha lá, e comecei a fotografar pela janela, do 7° andar onde estávamos. Aí ela lembrou... que estávamos no prédio mais alto do centro, e que podíamos ir no restaurante que tem no 42º andar... Pra que!!! Num mesmo ambiente, ver o Pão de Açúcar, o Corcovado, a Ponte Rio-Niterói e a Ilha Fiscal! Eram quase 360 graus de vista! Tudo bem, pagamos 16 reais pelo almoço, mas se pensar que não pagamos nada pela vista... saímos no lucro!!!

Sei que não descrevi tudo que meus olhos experimentaram - queria ter podido fazer isso aos poucos, a cada dia... E ainda faltam os ouvidos!!!

Minhas mãos estão aqui congelando... acho que continuo amanhã, tô realmente precisando de um banho bem quente e cair na cama. O vinho que tomei com o Nelson já deixou de fazer efeito, e o frio tá muuuuito grande! Podemos deixar os ouvidos pra amanhã? (e os links, claro!)

Nenhum comentário: