8.9.06

Lixo no lixo...

Estive lendo um post no Cracatoa onde a lusitana perguntava: "O que fazer com bilhetes de cinema guardados?" Muitas vezes me fiz essa pergunta, não somente referindo a bilhetes de cinema, mas papéis de bala, palitos de picolé, guardanapos, tickets de qualquer coisa, conchinhas, pedras, scraps do orkut, mensagens de texto no celular, cardápios... Uma lixaria doida, que insisto em catar.

Apesar de saber que muita gente tem essa mania, não faço propaganda dela, talvez por não querer ser taxada de malukete... afinal de contas, isso é aceitável em adolescentes... mas depois que a gente cresce... fica feio, segundo alguns. Mas o fato é que guardo.

E não pergunto agora "o que fazer com eles", mas tento me responder por que guardo? É como se aquilo fosse uma prova material de que aquele momento existiu. Da mesma forma que as fotografias... como disse Roland Barthes (ou Susan Sontag, não lembro qual dos dois... acho que foi Sontag). Hoje percebo que pra mim, tem esse aspecto. Talvez por conta da "falta de memória" DDA, desde sempre eu faço isso. A filosofia que rege minha vida é a de que "nada vale mais que as memórias"...

Mas... chega a hora que é necessário fazer uma faxina não somente nas caixas forradas de cetim (ou de emborrachado EVA) como também nas memórias da vida. Jogar o lixo no lixo. E reciclar o que for possível. Sem pena, sem achar que "um dia ainda vou precisar disso..." Afinal de contas, se não abrir espaço, vai chegar a hora em que não caberão coisas novas...

Nenhum comentário: