27.10.06

A carta que eu não queria escrever

Kadi, minha querida

Estou com o coração na mão, ou com a mão no coração, ao começar a te escrever agora.

Amanhã, a essa hora, você e Son já disseram "SIM", já amarraram legalmente os caminhos que vocês já tinham amarrado com o coração. E eu não vou estar aí...

Tá, eu sei que prometi que iria... ainda mais tendo faltado ao chá-de-cozinha. E juro que planejei ir, e se até hoje não te disse que não iria, é exatamente porque estava esperando acontecer "algo" que mudasse a situação e ainda desse pra estar presente nesse seu momento tão importante.

Mas mesmo não estando fisicamente, vou estar de coração. Vou estar, principalmente torcendo para que vocês tenham o maior tempo possível de felicidade juntos. Sinto muito, querida, se não consigo mais dizer "felizes para sempre", ou "a vida inteira juntos". Você sabe que minha crença nessas palavras modificou nos últimos tempos. Mas não mudou minha crença no amor. Não mudou minha crença na possibilidade de que o amor mantenha duas pessoas juntas. Não mudou minha crença no poder de Deus para fazer um casamento durar.

Só que para que isso tudo aconteça, é preciso que os dois estejam dispostos a isso, disponíveis e sensíveis para permitir a ação de Deus em suas vidas e se um dos dois desistir... era uma vez. O ditado popular diz: "quando um não quer, dois não brigam" e eu completo: nem brincam, nem dançam, nem beijam, nem se amam.

Mas ainda assim, posso dizer que desejo a você a felicidade que eu SEI que existe, pois já experimentei. E se me perguntarem: "Se você soubesse do futuro, repetiria sua história?" Eu respondo: SIM. 15 anos muuuito bons, 3 razoáveis e 2 terríveis, que me renderam muitas lembranças boas, outras nem tanto, uma história pra contar e dois filhos maravilhosos. Valeu à pena uhú, valeu à pena...

Minha menina... vou parar por aqui, antes que eu diga coisas do tipo: eu me lembro da primeira vez que te coloquei pra tocar pro Coral Infantil (aquela cantata da história de Noé)... lembro de quando li seu diário e suas cartinhas de amor...lembro de sua cara feia (de fome)... lembro de como seu humor se modificava quando ganhava um presentinho, fosse qual fosse... lembro do dia que te levei à sua primeira aula de piano em Itabuna... lembro de quando você foi morar em Salvador e lá sua professora de piano japonesa lhe fez voar muito, muito mais alto... (o nome dela eu não lembro) lembro dos seus 15 anos-surpresa... lembro de seu primeiro namorado (Não digo o nome aqui pra evitar complicações)... lembro de outros namorados... lembro de suas lágrimas e de como você levantou a cabeça e aproveitou a oportunidade pra emagrecer e ficar mais gata... lembro de suas risadas e dos mil apelidos que você me colocou... lembro de quando você veio toda cheia de dedos dizer que queria ir estudar em Salvador... lembro do desespero em que fiquei quando me vi sem você em TODOS os meus corais (mas não podia nem de longe deixar transparecer isso)... É, vou parar mesmo, senão eu digo coisas que vão me fazer chorar.

Já arrumei seu presente pra Cáthia levar amanhã cedinho... as tão faladas toalhas, bordadas pelas minhas mãos. Foi dureza para a DDA aqui conseguir terminar, e principalmente repetir o coração cheio de detalhes três vezes. Mas fiz com o maior prazer, roubando tempo de outras coisas (mentira, eu tinha mesmo que variar de atividades!), e finalmente ficaram prontas. Tomara que você goste. E não precisa lembrar toda vez que usar, não, mas de vez em quando, quando olhar pra elas, lembre que sua amiga fez com muuuuito carinho pra você usar em sua vida de casada.

Amo você, viu?

Anamel, Banda Mel, ou como você quiser chamar.

Photobucket - Video and Image Hosting

Um comentário:

Kadija Teles disse...

Anamel...Eu n me lembro se vi esse post. Eu acho que vi, mas n lembro mesmo. (N é só vc que tem problema na cabeça)
Olha, fique tranquila quanto a vc n ter ido no meu casamento!(Até pq eu tbem n fui no seu). Com tanto carinho registrado em blog e em toalhas, do que posso reclamar? De nada, né? Só agradecer a Deus pela sua vida...Pela nossa amizade!
De fato, vivemos muitas coisas legais sim. E os Encontros da AMBB que fomos? (Minha mãe nunca deixava eu ir, e vc sempre a conseguia convencer) Teve aquele Encontro tbem lá em Curitiba que foi super legal (Que eu cortei vc na foto com Samuel Kerr, pffffff....). As idas a Olivença, que vc aproveitava pra espremer meus cravinhos (ou melhor, minha cara toda, pq para cada poro, eu tinha um cravo. Lembra da minha "cara de Chokito"?). Da sobremesa de guaraná Taí com leite condensado que eu tomei num aniversário de Aline na laje de sua ex-casa, e depois daquilo dia, algo na minha vida mudou...De seu cabelo de miojo (quando vc fazia permanente eu ficava morrendo de raiva de você, pq vc só fazia aquilo pq seu cabelo era bom). Das idas à AABB, das broncas que vc me dava, kkkk...Do Coral do IME, do Vitória...Eu tbem voltaria no tempo, na boa...Foi bom demais!
Vc é uma benção! E de fato, fez muita diferença na minha vida!
(Suas toalhas estão aqui. Eu não uso muuito não porque fico com medo de estragarem rápido!)
Eu tbem "li amu"
Com carinho

Kadijauro