26.11.06

Conclusões...

Preparando a festa de niver do meu divã-nada-particular, reli quase que o blog inteiro. Claro que não foi de uma vez... 263 posts, não é pouco, não. Mas em meio às maisdenãoseiquantas coisas pra fazer aqui no PC, entre clipes e edição de fotos, trabalhos da facul, papos e e-mail... vou e volto no arquivo que diz que meu passado me condena... e tenho chegado a algumas conclusões.

1. Eu me gosto. Gosto de quem sou, de quem me tornei, do que escrevo, do que penso, do que faço, do que sinto... eu me gosto e pronto. Modéstia não é mesmo a principal virtude de uma mulher, e eu sei que sou do bem, e que presto.

2. Tem gente que gosta de mim. Desinteressadamente. Ou não. Mas nos comments do Mr. Halo, e nos do Mr. Blogger - que pra não ficarem perdidos no limbo salvei num arquivo do word pensando em um dia transportá-los um a um pro Halo, e de verdade sei que nunca vou fazer isso - percebo um carinho gostoso de gente de todo tipo, amigos de pele ou de telinha (melhor do que chamar de reais ou virtuais). Tudo bem que também tem gente que não gosta de mim, mas como esses não se dão ao trabalho de vir aqui me dizer, eu faço o que é melhor: ignoro.

3. Eu sou ordinary people. Não, não sou ordinária, sou só "gente normal". Lendo o texto da Clara no Garotas, (leia lá, é legal!) e lendo os meus textos aqui, onde me deixo ler, concluí que sou normal, sim. Tenho os problemas ordinários de todo mundo, tenho as felicidades ordinárias de todo mundo, tenho as 24 horas por dia ordinárias de todo mundo - e administrá-las ordinariamente é que são elas! Me preocupo, me estresso, me emociono, vou do riso ao choro, vivo as 4 estações no mesmo dia... ordinariamente.

4. Eu sou EXTRAORDINÁRIA. Não sou igual a ninguém. Sou especial. Minhas emoções são só minhas, mesmo que divida algumas com alguéns. Minhas idiossincrasias me fazem ser quem sou, às vezes boa companhia, às vezes um saco tão sacal que nem eu me aguento. Apesar do DDA, sei ouvir e entender que cada um é extraordinário, apesar de ser normal.

5. Existem vantagems em se ser DDA. (Claro, pra tudo e todas as situações há vantagens e desvantagens, qual a novidade nisso? Mas um DDA precisa ser lembrado do que não é novidade!!!) a) É bom reler coisas que você mesmo escreveu e se surpreender com elas. Parece até que é novidade!!! b) Você esquece as mágoas com mais facilidade. c) Você é intenso em tudo o que faz. d) Isso é um bom ponto de contato entre as pessoas. DDAs se atraem e se compreendem! ;) e) Tinha mais, mas esqueci. (E cansei, acho que esse post termina por aqui, tô com fome... onde será que vou almoçar hoje?)

6. Eu adoro isso aqui. Adoro escrever, mesmo que posts diarinhos ou rasos, mas adoro. Já tive outro blog e deletei, nem lembro como era o nome... mas não cheguei a amá-lo como amo esse cantinho. Amo o contato com as pessoas, pessoas que provavelmente jamais encontraria se não fosse por aqui. Me delicio visitando outros blogs, lendo o que gente normal escreve sobre suas vidas ordinárias e extraordinárias. Sinto falta de quem desaparece por um tempo ou pra sempre... E vou continuar a manter o Deixo Ler enquanto puder.

7. Eu escrevo demais. Nem é preciso ninguém dizer, não é uma questão de "ter espelho", mas enxergo que escrevo demais. Só que... é normal: Falo demais, logo, escrevo demais. Ah, e tô nem aí pra isso. Acho que ainda vou escrever mais ainda. Gostou não? Clica no xis ali no cantinho! ;)

Acho que teria mais conclusões, mas tô com fome mesmo, vou parar por aqui. (Sorte de vocês!)

Photobucket - Video and Image Hosting
8. Ai como quero aproveitar o verão do jeito certo...

Nenhum comentário: