29.11.06

Dezembro, 2005: Um “post” em DEZ-atos

"Li, ontem, um editorial magnífico. Não dizia absolutamente nada, mas era do contra."

Millôr Fernandes


(I) - Triste

Me sinto “tristeno meio de luzes “alegres”.

Não consigo digerir e nem associar o sentido da comemoração às ações da época.

Esse sou eu... triste num “post” para um blog... sobre o mês de dezembro.

(II) - Confuso

Como entender um mês que era o “décimo” no calendário (Romano), se tornando o décimo segundo (no Gregoriano), mas mantendo o seu nome de “décimo”???

Estranho, né?

Pois é: Dezembro vem de “décimo” (“decem”, do latim), nos calendários antigos.

(III) - Saudade

Passada essa questão do nome do mês, tem uma planta que floresce em dezembro que tem nome apropriado: “Saudade”!

Acho que – por pior que tenha parecido – a certeza do que passou dá saudade se comparada com a incerteza do que virá.

Cultivo a saudade em dezembro.

(IV) – Verão

O Sol, em dezembro, atinge o ponto mais ao sul em sua trajetória pelo céu.

É o solstício de inverno, que representa o início do inverno para o Hemisfério Norte e do verão para o Hemisfério Sul.

Daí ter neve no natal de New York (Hello my Friend!) e sol... um baita sol para nós.

(V) – Falso

Acho feio, falso, passear e encontrar “Papai Noéis” vestidos para o inverno no nosso calorzão.

O mesmo vale para as (grandes) empresas com duendes, renas e neve enfeitando suas fachadas.

Está na hora de criar o nosso Papai Noel – meio “Zé Carioca” – Mas o NOSSO!

(VI) – Me engana que eu gosto.

É... é isso mesmo.

É só ir chegando o fim do ano e começam as avaliações. Levantamento das promessas não cumpridas e elaboração de novas promessas.

É como aquele regime que iniciará na “próxima” segunda-feira. J

(VII) – Músicas

Como é chato assistir TV e ficar ouvindo aquelas musiquinhas das propagandas.

Desde que assisti algo na primeira TV da família (em 1969), essas propagandas tocam as mesmas músicas, com os mesmos arranjos!! Poderiam fazer mais “Jingle” e menos “Bell”.

Ok, recomendo que escutem as bandas: Trans-Siberian Orchestra e December People.

As mesmas músicas... com criatividade.

(VIII) – Pode ser bom.

O calendário descreve o dia 31 como “Dia da esperança e das Devoluções”.

Confesso, acredito em algo positivo no mês de dezembro.

É olhar para trás e ver o caderno cheio de experiências vividas; alegrias e dores; realizações e decepções; achados e perdas; amores e ódios...




É olhar para frente (e enfrente!) e ver um caderno novo, folhas em branco, para novas anotações de vida. Anotações de alguém mais velho... mais maduro... mais sábio... mais teimoso... mais emotivo... mais chato... mais qualquer coisa... MAS, sempre MAIS!!

(IX) – Acaba o ano.

365 dias: E dia é o período de 24 horas que a terra leva para girar em torno do seu próprio eixo (Movimento de rotação);

52 semanas: E semana é o período de sete dias, que é o período que a lua leva para completar um ciclo. “Septem mane” (Semana em latin) significa “sete manhãs”

12 meses: Mês (30 dias) é o tempo que a Lua leva para dar uma volta em torno da Terra.

1 ano: Tempo gasto pela Terra para dar uma volta em torno do Sol (Movimento de translação).

(X) – Sou do contra!!

Pois é: Em dezembro eu “sou do contra”!

Dezembro... é dezembro.

Fim... e começo.

Chegada e partida.

Perdido e achado.

Alvo atingido e novo destino.

Belo e feio.

Não gosto... e gosto de “dezembros”...


Amaury (Batman)

Nenhum comentário: