22.11.06

No escurinho do cinema...



Os dias na Cidade Grande foram muuuuito bons. Especial e principalmente pela companhia. A filha, os primos... tudo gente muito boa, e do bem. (Claro!) E a falta de grana não foi empecilho pra uma boa diversão.

Passeios "turísticos típicos", shopping e cinema, é claro. Mas não foi só no cinema que alimentamos o estoque de filmes. HBO, Warner, Cinemax e Disney funcionaram "direitinho"!

Numa tarde/noite fizemos a maratona no Multiplex do Iguatemi: Primeiro "O diabo veste Prada" (veja foto, inclusive da cena ao vivo, no aeroporto!) . Line já tinha lido o livro, eu fui com a mente "virgem". Ela adorou, eu gostei. Saímos do cinema, lanchamos e encontramos com Marta. O programado era um show de Chorinho no Rio Vermelho, mas como começou a chover... resolvemos ficar no shopping mesmo, e encaramos "O Grande Truque". Eu com a mente "mais virgem ainda", nem sabia do que se tratava.

Sabe aquele filme que quando sai a gente fica comentando? Pois foi assim. Fazia tempo que não caía de paraquedas num filme desses. Sem planejar, sem ter ouvido comentários ou lido resenha... Valeu à pena. Roteiro inteligente, bem amarrado, nenhuma pontinha fica solta, apesar de ser completamente "não linear". Sem falar no final mais do que surpreendente. É o tipo de filme que vou comprar o DVD assim que sair, (ou piratear, sem problema!) porque os extras certamente devem ser demais!!!

Nem sei se vou conseguir listar todos os filmes que assistimos em 5 dias... Foi desde "O Fugitivo", de 1993 com Harisson Ford, no meio da manhã, até os replays de "Bridget Jones - No Limite da Razão" e "Before Sunset", que já tínhamos assistido "n" vezes, mas que estão entre os preferidos, então não faz nem mal assistir de novo. Rimos muito com "Duplex" (review também), "Procura-se um amor que goste de cachorros", nos emocionamos com "Um presente para Helen" e "Finding Neverland" e por conta de Rachel, ainda levamos "de quebra" "Os Incríveis". Mas o fim da picada foi um tal "Amor em Disputa". Esse ganha o prêmio de inassistível. E por que assistimos? Bem... em mais de 100 canais disponíveis, dá pra imaginar que num domingo à tarde não tivesse NADA melhor? E a mocinha vem com uma que "quando começa a assistir, mesmo sendo uma porcaria não consigo largar no meio". Sei.

Eu assisto filmes por gosto, por prazer, curto mesmo. Claro que prefiro na telona, mas aceito na tv ou no DVD, especialmente com direito a todos os extras. Dessa turma toda, poucos foram "novos". Mas a vantagem de ser DDA é que a gente não se lembra de muita coisa... e tudo parece sempre novo! (eu nem lembrava que Rebecca Gilles era lésbica!)

"Finding Neverland" ganhou o Oscar particular de fazer pensar. "Neverland... é onde moram nossos sonhos." Já vivi por tanto tempo lá... e hoje custo tanto a voltar... Mas creio que essa é uma das razões de ser dos filmes: Nos levar de volta a lugares que esquecemos de retornar com as próprias pernas.
"Este filme não é sobre Peter Pan. Nem é sobre o autor de Peter Pan, o
escocês JM Barrie. É sobre a criança que há dentro de cada um de nós e sobre o adulto que existe dentro de cada criança. É sobre o poder da imaginação, um poder tão forte que é capaz de nos dar asas e levar-nos para um mundo onde, se
pensarmos com muita força, tudo o que desejamos poderá acontecer. Será isso verdade? Será isso possível? Talvez não! Mas pelo menos Finding Neverland faz-nos tentar sonhar um pouco mais, viver um pouco mais, imaginar mundos com os quais nunca ousamos sonhar
." (Miguel Lourenço)

Pois é. Valeu ter gasto esse tempo em parar e assistir filmes "água-com-açúcar", esquecer um pouquinho as técnicas e voltar à "primeiridade", just enjoying it!

E dessa listinha toda, pulem somente "Amor em Disputa", o mais infame que um filme pode tentar ser, ele conseguiu.

Nenhum comentário: