7.11.06

Sexo, drogas e rock and roll

Que dia!!!

Prisão de professor da UESC acusado de pedofilia, logo cedo pela manhã. (Nem me perguntem o que ele merece) Pelo menos não era da minha área, eu nem conhecia. (Era de exatas) Ó a região no noticiário!!! Primeiro no Jornal do Meio-dia (que agora é 11h, por conta de não estarmos no horário de verão), depois no Jornal Hoje, no BATV, Jornal Nacional e até no Jornal da Globo! Carolina Rosa ganhou o dia (ou a noite)!!!

Perdi o 27, que passou exatos 2 minutos antes do horário de sempre, porque parei pra abrir a conta da Oi que chegou (finalmente fiquei dentro dos infames 500 minutos, deve ser porque Line tá em casa, né? Eu acho.)e o cartãozinho novo do Bomclube. Eram 12:38h, eu tava certinha, juro que o horário dele é 12:4oh. Mas o traste passou 2 minutos antes. Fui pro ponto do 28, sentei no sol (não tem nem uma sombra pra amenizar a espera) e abri o livo "Televisão, ensaios metodológicos" de apenas 153 páginas que eu vou ter que expor em 20 minutos. Ele nem demorou, e logo, logo eu sentei, e consegui ir lendo durante a viagem.

Umas 3 ou 4 semanas atrás cheguei 20 min atrasada (Cacau atrasou com a carona) e o prof. (assunto pra outro post) deu falta. Desde então, toda terça eu tenho por compromisso de honra chegar na hora. Pois desde então ele nunca mais chegou às 13:30,h e eu nem posso lhe dar falta. E eram 13:50h hoje quando a aula começou. Tarefinha do dia: Definir tema, assunto e objetivo para o Projeto de Vídeo Educativo que será levado a termo no semestre que vem. Pausa para comentar sobre a prisão do tal índio (é peruano), prof de queixo caído, e a equipe loucamente explodindo em idéias nada criativas, stress total, até eu me queixar da minha dor de dente. Ó o "assunto" do vídeo educativo: "Saúde Bucal". Fim da aula.

Ah, antes do fim da aula, uma agradabilíssima surpresa: o primeiro DEZ do semestre, na participação do GVGO (quem não sabe o que é, depois eu explico) e um maravilhoso 9,5 naquela provinha de Comunicação e Realidade Regional em que escrevi sem parar de 13:30h às 16h.

Xerox para um seminário sexta-feira sobre métodos de pesquisa. Ler o texto, aproveitando a "janela de horário" até à aula das 16h. De Telejornalismo. Decididamente não é isso que eu quero da vida. Em fase de produção, eu que vou pra edição, tô me sentindo absurdamente desorientada. E deixei isso claro com minha cara de interrogação, que fez a profa. comentar: "Olho pra você e vejo uma interrogação enorme e só lembro de S., aluna do semestre passado, que vivia repetindo: Eu odeeeeio essa matéria!"

Parte II da aula de Tele: na ilha, assistir alguns VTs de coleguinhas. Sessão gargalhada. (Será que eu lembro de algo pra contar aqui?) Um "fala povo" hilário sobre vídeos pornôs, onde uma coitada feeeia de doer e usando uns óculos fundo-de-garrafa disse que "não era necessário", e um colega rebateu: "claro que não é necessário... ela não enxerga nada!" Tá... nada demais até outro dizer: "Essa aí é a mãe de R." (outro coleguinha). Todo mundo rindo, e até hoje ninguém sabe se era mesmo a mãe dele ou não... Outro "fala povo" sobre Sex-Shopp e um carinha: "É loja nova, é?" E muitas negativas de mulheres altamente envergonhadas só em pronunciar a palavra SEXO. O sovaco de uma entrevistada à mostra, "família na matéria tira a credibilidade", ninguém aluga filme pornô, embora o dono da locadora diga que é a seção mais frequentada... motivos mais do que suficientes pra dobrar de rir numa sala minúscula com 20 alunos, uma professora e dois técnicos de edição.

O dia acadêmico terminou às 18:30h me dando a certeza de não assistir mais nem a novela das 7, se eu quisesse, porque com o horário de verão no resto do país, ela começa às 6. Voltei de 27, sentada, continuando a ler sobre os métodos de pesquisa.

Tá... e sobre o título deste post, não está faltando alguma coisa, perguntarão vocês? Sim, chego lá. As drogas... são analgésicos e anti-inflamatórios pra me fazer suportar uma dor de dente miserável. Deu "infiltração" num "bloco" (eu sou um telhado ou um banheiro?) e começou a doer a arcada toda, exatamente no sábado à noite. Doía até o ouvido, gastei 9 dinheiros num remedinho daqueles com benzocaína antes de imaginar que poderia ser do dente... e obviamente não resolveu. Bati na segunda 7 da madrugada no consultório do Dr. Dentista, que após vários cliques de Raio X identificou o problema. Canal, imediatamente. Diclofenaco pra dentro. E a certeza que que a dor da hora é a mais forte, sempre.

Dá pra imaginar a tia aqui com a boca torta, doendo até à alma, enfrentar os formandos de Alfabetização pra uma sessão de fotos para o convite, na cidade vizinha? Pois ela foi. E não teve droga certa que trouxesse o humor de volta. Pelo menos as fotos prestaram.

E o rock and roll? Ah, umas bandas espanholas ("Fúria Animal", "Tierra Santa", "Zenobia" e "Saratoga") tocando umas baladas gostosas, que chegaram via MSN e fizeram a trilha do trabalho do início de semana.

É isso. Sexo, drogas e rock and roll, assim foram meus dias.

Nenhum comentário: