20.12.06

Então, é Natal...

Pronto!

Já fiz minha parte!!! "Colei" nos ouvidos de vocês a musiquinha infame na voz da Simone. E eu até que gostava dela no original, mas fazer o que?

Relutei em escrever aqui sobre o Natal e como me sinto nessa época do ano... Já li de tudo por aí, e não queria fazer um post deprê... Mas realmente não dá pra fingir que nada está acontecendo. Ontem pela primeira vez passei pelo centro da cidade à noite, e vi as luzes enfeitando as ruas. Tomei um susto... Não comprei presente pra ninguém (nem pra mim), minha casa não faz nem idéia do que seja "decoração natalina", não sei que roupa vou vestir na "noite feliz", não mandei cartão nem virtual pra NINGUÉM... É, a coisa está séria mesmo. Tenho que tomar uma atitude.

Então, vai aqui um post de natal muito porcamente escrito, com a nada implícita intenção de dizer que essa época me deixa pra baixo, mas isso não é novidade. Não vou fazer uma auto-análise dizendo quais os motivos, porque eu sei, e provavelmente muitos de vocês também sabem, que final de ano é sempre assim: ou se fica muito feliz ou se fica deprê. Não dá pra ter meio-termo. Então, sou do segundo grupo. E junto com final de semestre letivo, então, é que fica mais infame ainda.

Mas fora o fato de "ser natal", o resto tá ótimo. Bem... "ótimo" é exagero. Tá bom. E vou parando por aqui, que senão fica mais porcamente escrito ainda.

Recesso de Natal, pessoas... até quando Deus mandar bom tempo. Não garanto nada... pode até ser hoje à noite, mas o fato é que estou me despedindo oficialmente. Se voltar antes dos sininhos tocarem e as renas de Papai Noel passarem sobre as casas de vocês, é bônus, incluído no menu de "extras".

Sem imagem,e correndo, que eu tô com fome. Mas achei a soundtrack.

Tapeceiro (João Alexandre)

Tapeceiro, grande artista, vai fazendo o seu trabalho.
Incansável, paciente no seu tear
Tapeceiro não se engana, sabe o fim desde o começo.
Traça voltas, mil desvios sem perder o fio.
Minha vida é obra de tapecaria, tecida de cores alegre e vivas
Que fazem contraste no meio das cores nubladas e tristes.
Se você olha do avesso, nem imagina o desfecho.
No fim das contas, tudo se explica, tudo se encaixa, tudo coopera pro bem.
Quando se vê pelo lado certo, muda-se logo a expressão do rosto:
Obra de arte pra honra e glória do tapeceiro!
Quando se vê pelo lado certo,
Todas as cores da minha vida dignificam a Jeus Cristo, o tapeceiro!

Nenhum comentário: