16.1.07

A lista

Depois do troféu Pipoca Mofada de Ouro, fiquei pensando nessa nóia de fazer listas. Tem gente que se dá bem com elas, como a Clau, que além de fazer, consegue cumprir. Mas tem gente que pra tudo tem listas... e nem sempre são úteis. Eu não costumo mais fazer... porque quando tento, termina dando em nada, mesmo.

Tem uma canção de Oswaldo Montenego, "A lista" que leva a refletir sobre as mudanças na vida da gente, a partir de possíveis listas:

Faça uma lista de grandes amigos
Quem você mais via há dez anos atrás.
Quantos você ainda vê todo dia?
Quantos você já não encontra mais?
Faça uma lista dos sonhos que tinha.
Quantos você já desistiu de sonhar?
Quantos amores jurados pra sempre...
Quantos você conseguiu preservar?


Já me emocionei muitas vezes, ouvindo essa música, e até hoje, é como uma facada no peito... Muita coisa foi quebrada, perdida... É claro que muita coisa foi ganha, também. A lista dos novos amigos, dos novos sonhos, dos novos segredos... talvez seja até mesmo maior do que as listas antigas. Mas ainda há uma pontinha de dor, uma sensação de fracasso, um carimbo "LOOSER" no canto do papel...

Onde você ainda se reconhece,
Na foto passada ou no espelho de agora?
Hoje é do jeito que achou que seria?
Quantos amigos você jogou fora?
Quantos mistérios que você sondava,
Quantos você conseguiu entender?
Quantos segredos que você guardava
Hoje são bobos, ninguém quer saber?...


Eu me reconheço tanto na foto passada quanto no espelho de agora. Mas são duas pessoas diferentes. A da foto... era ingênua, inocente e bem mais doce, apesar de ter um pique muito maior pra vida. A do espelho... amadureceu, curtiu muita coisa boa e ruim, entendeu algumas coisas sobre si mesma e sobre a vida... Guardou um tanto de segredos e abriu o bocão em outros... Mas ambas sou eu. É a minha história desenhada nas fotos e no espelho. Loira ou morena... sou eu.

Quantas mentiras você condenava...
Quantas você teve que cometer?
Quantos defeitos sanados com o tempo
Eram o melhor que havia em você!...
Quantas canções que você não cantava
Hoje assobia pra sobreviver!
Quantas pessoas que você amava
Hoje acredita que amam você?


Verdades e mentiras... como a teoria da relatividade funciona aqui, não? O que é conveniente ser dito ou omitido...o que parece defeito e é virtude e vice-versa...

A mudança de trilha sonora da vida é essencial. Pra cada momento há uma canção, que grita de dentro do peito o que as palavras não conseguem dizer. E em alguns deles, a gente se vê envolvido por um estilo completamente diferente daquele que é o nosso, ou se vê colocando na vitrola exatamente aquele disco que detestava. E exatamente isso é que vai dar forças pra seguir adiante.

Faça uma lista de grandes amigos,
Quem você mais via há dez anos atrás.
Quantos você ainda vê todo dia?
Quantos você já não encontra mais?
Quantos segredos que você guardava
Hoje são bobos, ninguém quer saber...
Quantas pessoas que você amava
Hoje acredita que amam você?

Nenhum comentário: