17.1.07

Troféu "Pipoca Quentinha" de ouro

Cumprindo o prometido, aqui vão minhas indicações de melhores do ano. Quando estava no Pipoca Mofada, abri a lista dos filmes de 2006 no cineclick, foi que vi como assisti poucos filmes no ano. E olha que em muitas semanas fui duas vezes... mas também deixei passar algumas, porque o filme não interessou ou porque o tempo não foi suficiente. Comparando com quem mora nas capitais, e as opções são infinitamente maiores... eu sou mesmo uma analfa em cinema. Mas comparando com quem mora em fins-de-mundo como LEM... eu sou uma sortuda! Aqui em Ilhéus tem um cinema só, o Santa Clara (com duas salas) e muito raramente exibe os filmes ao mesmo tempo em que o restante do país é premiado com as estréias. Enfim... assisto o que dá.

Em 2006 o Troféu Pipoca Quentinha de Ouro vai para "O Grande Truque", sem sombra de dúvida o filme mais interessante e cativante dos últimos tempos. Já escrevi sobre ele aqui, então não preciso repetir. Da mesma forma, leva o troféu "O Labirinto do Fauno", que também já comentei aqui. Ambos perfeitos.

Outro que não pode deixar de ser assistido é "A Casa do Lago". Claro que não pode ser considerado "possível", mas a história é belíssima, bem arrumada, fotografia DEZ, e a interpretação de Sandra Bullock e Keanu Reeves sem queixas. O ponto negativo desse filme é a falta de alguém do lado, porque assistir um romance desses sozinha, ninguém merece, é castigo!!!

"Flyboys" não parecia ser meu estilo de filme, mas me surpreendeu. Mistura na dose certa de ralidade e "romanceamento", deixaram o filme magicamente completo. Faz rir, faz chorar, faz pensar...

"Os Infiltrados" também é daqueles que prende completamente a atenção. E olha que eu nem gosto do Di Caprio... Mas a história vai deixando com que ele fique melhorzinho do que é...

"Amor em Jogo" e "Match Point" entrelaçam a vida com esportes, o primeiro com baseball e o outro com tênis. Ambos absolutamente fora da minha realidade, e apesar dos filmes serem completamente diferentes, acho que têm muito a ver um com o outro. A importância que se dá ao próprio time (nunca entendi muito bem isso), e a importância que se dá à sorte... Bem, aconteceu algo enquanto assistíamos "Match Point". Na sinopse tinha: "final surpreendente". E enquanto o final ia se aproximando, eu e Line nos perguntávamos: cadê a surpresa? Será que já assistimos filmes demais, e nada nos surpreende mais? Tsc tsc tsc... É surpreendente, sim. E muito. E ainda usa o "paradigma de Syd Field", (quem tem cabeça pra entender, entenda...) muuuuito bom. E deixa as risadas pra "Amor em Jogo", porque esse não tem nada pra rir, não.

"Crônicas de Nárnia" não me pareceu tão bom quando vi no cinema... pra uma leitora devoradora de todos os livros da coleção há mais de duas décadas, encontrei um monte de defeitos, achei que a figura de Aslam na minha cabeça era melhor do que a que foi pra telona, e mais um tanto de coisas... Acho que foi expectativa demais, esperei muito... e me frustrei. Mas assisti de novo em casa, no DVD... (comprei pirata!) e me percebi apaixonada pelo filme! Esqueci todos os defeitos que tinha encontrado!

No cinema nacional... "Zuzu Angel", sem dúvida leva o Pipoca Quentinha, cum laude! Sensível, fiel aos fatos, trilha perfeita. Patrícia Pillar mostra a que veio, sem sombra de dúvidas. E a cena da morte dela, com "Apesar de você" tocando no toca-fitas do carro... ah, essa mesmo que não tenha sido real, teria sido "a cena"! E "Trair e Coçar é só começar" leva toooodas as risadas possíveis! ("Por isso eu bebo e chooooroooo...")

Bem, pode ser que outros mereçam também, mas agora só lembrei desses.

Nenhum comentário: