5.1.07

Um novo olhar...


Photobucket - Video and Image Hosting"



Para o sol morrendo... um espetáculo que se repete a todos os dias, mas nunca é igual. Assim como a vida. "Só sei que eu acordo e gosto da vida, os dias não são nunca iguais!" (Acho que é a terceira ou quarta vez que cito esta música aqui... mas é isso mesmo!)

Estou com o PC "pelado" de músicas, depois da formatação, e não levantei pra procurar os CDs... mas a trilha de hoje na minha cabeça varia nas músicas e nos artistas, mas não no assunto. Acho que dá um post perfeito, só com a colagem delas.

Nada do que foi será de novo do jeito que já foi um dia. Tudo passa, tudo sempre passará... A vida vem em ondas, como o mar, num indo e vindo infinito. Tudo que se vê não é Igual ao que a gente viu a um segundo. Tudo muda o tempo todo no mundo... Não adianta fugir nem mentir pra si mesmo agora. Há tanta vida lá fora... Aqui dentro sempre... Como uma onda no mar.

Um novo tempo, apesar dos castigos... Estamos crescidos, estamos atentos, estamos mais vivos, pra nos socorrer, pra nos socorrer. No novo tempo, apesar dos perigos, da força mais bruta, da noite que assusta, estamos na luta pra sobreviver, pra sobreviver. Pra que nossa esperança seja mais que a vingança, seja sempre um caminho que se deixa de herança. Um novo tempo, apesar dos castigos, de toda fadiga, de toda injustiça, estamos na briga pra nos socorrer, pra nos socorrer. No novo tempo, apesar dos perigos, de todos os pecados, de todos enganos, estamos marcados pra sobreviver, pra sobreviver. No novo tempo, apesar dos castigos, estamos em cena, estamos nas ruas, quebrando as algemas pra nos socorrer, pra nos socorrer, pra nos socorrer. No novo tempo, apesar dos perigos A gente se encontra cantando na praça, fazendo pirraça... pra sobreviver... pra sobreviver. Um novo tempo...

Amanhã será um lindo dia, da mais louca alegria, que se possa imaginar... Amanhã, redobrada a força, pra cima que não cessa, há de vingar. Amanhã, mais nenhum mistério, acima do ilusório, o astro rei vai brilhar! Amanhã a luminosidade, alheia a qualquer vontade há de imperar, há de imperar... Amanhã, está toda esperança, por menor que pareça, que existe é pra vicejar. Amanhã, apesar de hoje, será a estrada que surge, pra se trilhar. Amanhã, mesmo que uns não queiram, será de outros que esperam ver o dia raiar. Amanhã, ódios aplacados, temores abrandados, será pleno, será pleno!!!

Não vou viver, como alguém que só espera um novo amor. Há outras coisas no caminho onde eu vou. As vezes ando só, trocando passos com a solidão. Momentos que são meus, e que não abro mão. Já sei olhar o rio por onde a vida passa sem me precipitar, e nem perder a hora. Escuto no silêncio que há em mim e basta. Outro tempo começou pra mim agora. Vou deixar a rua me levar, ver a cidade se acender... A lua vai banhar esse lugar, e eu vou lembrar você. É mas tenho ainda muita coisa pra arrumar: Promessas que me fiz e que ainda não cumpri... Palavras me aguardam o tempo exato pra falar, Coisas minhas, talvez você nem queira ouvir. Já sei olhar o rio por onde a vida passa sem me precipitar, e nem perder a hora. Escuto no silêncio que há em mim e basta. Outro tempo começou pra mim agora!!!

Que venha essa nova mulher de dentro de mim, com olhos felinos felizes e mãos de cetim. E venha sem medo das sombras, que rondam o meu coração, e ponha nos sonhos dos homens a sede voraz da paixão. Que venha de dentro de mim, ou de onde vier, Com toda malícia e segredos que eu não souber.Que tenha o cio das onças e lute com todas as forças, conquiste o direito de ser uma nova mulher: Livre, livre, livre para o amor.... quero ser assim, quero ser assim: senhora das minhas vontades e dona de mim!

Eu já estou com o pé nessa estrada, qualquer dia a gente se vê. Sei que nada será como antes, amanhã. Que notícias me dão dos amigos? Que notícias me dão de você? Sei que nada será como está, amanhã ou depois de amanhã, existindo na boca da noite um gosto de sol. Num domingo qualquer, qualquer hora, ventania em qualquer direção, sei que nada será como antes, amanhã.


Sem aspas e sem créditos, todo mundo sabe de quem são... e hoje é como se tivessem sido minhas.

(Crédito da foto: A Outra Bel, no Solar do Unhão, 03/01/2007)

Nenhum comentário: