24.2.07

Comentando a "veja" da semana passada

Fazia tempo que eu não conseguia parar e ler a "Veja". Não sei se era falta de concentração típica de DDA, ou se só pensar na política do Brasil me dava repulsa e não conseguia mais do que folhear a revista. Inexplicavelmente essa semana tive condição de ler toda. Mas confesso que muita coisa me deu enjôo. (Vai ver que eu tô grávida mesmo sem útero.)

Exemplo 1:

O plágio é claríssimo, mas a conclusão que eu tirei é bem outra. Millôr não "está décadas à frente". Tem é "alguém" que passou à frente dele (ou passou a perna nele, ou passou ele pra trás, como ficar melhor pra ser entendido).

Exemplo 2:
Na coluna "Holofote", entrevista rápida com Renata Fan, 28 anos, miss Brasil em 1999, hoje âncora de um programa de futebol.
"Veja: Como foi trocar os concursos de miss pelos debates sobre futebol?
Renata: Tenho orgulho de ter sido miss, mas esse é só um título estético. Gosto de futebol desde criança e hoje sou valorizada pelos meus comentários.
Veja: Como você definiria sua maneira de jogar?
Renata: Olha, mulher tem que ser higiênica e impor seu estilo. Eu, por exemplo, adoro salto alto. Tenho 200 pares de sapatos e gosto mesmo daqueles com salto fino."

Ah, uma revista do porte de Veja publicar isso... A mulher responde o que não foi perguntado - não que isso seja incomum, mas dessa vez foi dureza! - e a maneira dela de jogar é "higiênica" e com 200 pares de sapatos??? Aff, me economize!

Exemplo 3:
A neutralização da culpa. Essa merece link próprio, porque não consigo nem comentar. Vamos plantar árvores pra "neutralizar" nascimentos de filhos, cursos de pós-graduação, passagens aéreas e o escambau. Calcular o CO2 posto em circulação, multiplicar pelo consumo de energia elétrica ou litros de combustíveis fósseis. Sim, mas quem neutraliza o trabalho de quem faz esses cálculos inúteis e impossíveis de serem verificados???

Olha, depois de tanto tempo sem conseguir parar e ler a bendita revista, fiquei me perguntando por que ainda mantenho essa assinatura. Mas já está decretado que não tem renovação. Só se for "de grátis." E mesmo assim, estarei fazendo um favor.

Pra não dizer que foi completamente inútil, o ponto de vista de Stephen Kanitz vale a pena ser lido. Até merecia um post só pra ele, e quem saiba não saia amanhã?... Ou na véspera da volta às aulas do meu último semestre letivo. (Vou repetir isso quantas vezes couber hehehehe!)

Nenhum comentário: