6.2.07

Eu gosto

Eu gosto de acordar sem ser acordada, e abrir os olhos com calma, sem ter que pular de uma vez da cama. Gosto de olhar pela janela do meu quarto e ver que está fazendo sol... e saber que só por isso o dia já se anuncia bom.

Gosto de pensar no "programa do dia" e saber que mesmo que tiver muita coisa pra fazer, no final do dia eu terei feito alguma coisa. Gosto de sentar diante do PC e encontrar na telinha pessoas que me fazem bem, que me dizem que sou útil, e que se alegram ou choram comigo.

Gosto de olhar pra trás e ver o quanto já fiz, o quanto já conquistei, o quanto já vivi. E gosto também de olhar pra frente, e ver que ainda há tanto ou mais pra fazer, conquistar e viver. Gosto de olhar pros lados e ver que existe gente do bem que coopera para a minha felicidade, e mesmo que exista também muita gente do mal, pra esses eu não preciso olhar muito, não. Gosto de olhar pra dentro e ver quem sou, sem me cobrar demais e sem ser complacente também. Gosto de olhar pra cima e ver a grandeza dAquele que cuida de mim... e não está só em cima, mas está ao lado, dentro e à frente.

Gosto de andar na areia da praia, como hoje, e sentir a água batendo nos pés... e quando o calor aumenta, gosto de parar e entrar na água sem medo, sem hora de sair, e de preferência em boa companhia. Gosto de olhar o mar, de sentir o cheiro e a brisa, de lembrar que ainda estou de férias, e que tenho que aproveitar, pois o último semestre não deve ser nada fácil. Gosto do calor e de vestir roupas leves e calçar sapatos confortáveis, mesmo que não sejam chiques ou tããão elegantes.

Gosto de comer na hora que estou com fome e dormir na hora que estou com sono, mesmo que não sejam os horários usuais e"normais" para a maioria das pessoas. (Aliás, eu gosto mesmo de dormir, seja em que hora for.)

Gosto de ler quase todo tipo de coisa: desde os livros necessários aos absolutamente prazerosos; de bula de remédio a rótulo de xampu; de blogs despretensiosos a ensaios bem elaborados. E gosto de escrever, com ou sem destinatário, simplesmente escrever me faz bem.

Gosto de ver o por-do-sol, e de registrá-lo em fotos... (na verdade, eu gosto de fotografar tudo e todos. Um dia ainda exponho minhas fotos!) Gosto de ouvir música e cantar, gosto de sentir que as músicas traduzem o que eu penso e sinto.

E é incrível que exatamente sobre as duas coisas que mais gosto de fazer, escrevi duas frases ridiculamente curtas e simplistas. Deve ser porque... porque... porque... ah, porque esse meu "gosto" já deu por hoje, né?

Nenhum comentário: