28.2.07

O Oscar, o Santa Clara, Lost e o DVD na cama

Tá, eu tô atrasada, sim, e daí? (É, o mau humor ainda não foi embora, sorry, pessoas.) Mas apesar do post super detalhado da Jady sobre os vestidos, eu só posso dizer que assisti à cerimônia de entrega do Oscar quase toda, meio dormindo, meio acordada, mas ouvi todas as canções concorrentes, vi todos os traillers, as homenagens especiais e as piadinhas sem graça da apresentadora que esqueci o nome e tô com preguiça de procurar e os comentários non sense de José Wilker.

Sinto dizer que da lista dos vencedores só assisti Os infiltrados, O diabo veste Prada, O labirinto do Fauno, O grande truque e O ilusionista, o que é mesmo muuuuito pouco, considerando que gosto tanto de cinema. Sobre a cerimônia, não vou negar que sou uma boba e que gostei. Acho que se pudesse, estaria lá, metida no meio das celebridades e me achando uma. Quem sabe, um dia um dos meus roteiros não chega on the top??? (Sonhar não custa!!!)

Achei fofo os personagens das animações estarem "presentes" à premiação, e as carinhas de tristes que a turminha da Casa Monstro fez quando Happy Feet ganhou! Gostei também da música (simplória e mediana, disse Wilker) tema de Carros, Our Town, com um sentimento nada parecido com o que estamos sendo treinados a sentir pelas nossas cidades. (Percebam a ponta de reação a tudo que tem acontecido no Brasil, longe e perto de mim, real ou virtualmente).

Justificando a pobreza da minha lista de filmes, esta foi a quarta semana em que estavam em cartaz Xuxa gêmeas e O cavaleiro Didi e a princesa Lili, dá pra acreditar??? E no horário noturno (é, só tem uma sessão na matinée e uma à noite) estão O Pacto e O amor não tira férias. E eu já estaria em crise de abstinência, se não tivesse feito uma "feirinha" na locadora, e passado o fim-de-semana-de-cama acompanhada de alguns DVDs.

O filhote escolheu uns, eu escolhi outros... no fim das contas o saldo foi positivo. Quando ele pegou Cão de Briga com Jet Li, eu juro que jurei não assistir. Mas depois dele dizer que "era bom", me rendi. E não é que era???? Na dança entraram também a tristeza e a revolta de O jardineiro fiel, e o idealisimo de O clube do imperador. (Altamente recomendado, apesar de previsível). E Constantine, com sua bacia d'água e os olhos de gato. Ah, consegui ver os 15 minutos finais de Adeus Lênin... o filme é doce, uma mistura de sonho e ralidade, idealismo e mentira-por-uma-boa-causa.

Apesar de ter me prometido que nunca mais assistiria uma série de TV a não ser que fosse em DVD e tudo de uma vez, me peguei assistindo Lost. Pior é que eu gosto!!! E Nos ntervalos entre DVDs, revi na *sessão da tarde* Volta por cima, um musical de escola, quase típico, mas com um tom sarcástico e cômico pra uma tragédia de Shakespeare, Summernight dreams. Outra reprise foi Tratamento de choque (gooooosfraaaaabaaaa!!!) com Adam Sandler. (É, eu tô sem-o-que-fazer mesmo. E 'tomaticamente, sem ganhar dinheiro. O que leva ao stress natural por esse motivo.)

Nas conversas pós filme, ri da simplicidade de julgamentos: O filme é ruim... porque morreu todo mundo. É bom... porque apesar de ter morrido muita gente, o "artista" não morreu. É muuuito bom... quando não morre ninguém. Ah, eu nem concordo com isso. Mas foi engraçado pensar assim.

Ah, desculpem não linkar nenhum filme... joguem no google que dá no mesmo! ;)

Nenhum comentário: