22.2.07

Quinta-feira (de cinzas?)

Acabou nosso carnaval...
(...)
E no entanto é preciso cantar,
Mais que nunca é preciso cantar!
É preciso cantar e alegrar a cidade...
A tristeza que a gente tem
Qualquer dia vai se acabar
Todos vão sorrir
Voltou a esperança
É o povo que dança
Contente da vida, feliz a cantar
Porque são tantas coisas azuis
E há tão grandes promessas de luz
Tanto amor para amar de que a gente nem sabe...
(...)
Marcha De Quarta-Feira De Cinzas - Vinicius de Moraes / Carlos Lyra

Pois é, passou o carnaval... e eu nem vi que foi carnaval!!! Nem deu tempo ver nada, passei os dias tomando banho de sol e de chuva, curtindo praia, piscina, cachoeira... Bom demais!!!

Na verdade ainda devíamos ficar na pousada até amanhã, mas... na terça-feira à tardinha eu estava com a Karine olhando o mar e papeando na beira da praia... quando um rapaz se aproximou, e bem educadamente perguntou as horas. Ela olhou no celular, e respondeu, ele se aproximou mais, agachou e com uma faca encostada no pescoço dela, disse, bem tranquilamente: "Ó, agora você me dá o celular, senão eu corto seu pescoço todinho." Ela jogou o celular no chão, e ele ainda fez algumas perguntas, avisou pra não mandarmos ninguém atrás dele... ficamos lá paradas, até ele estar bem longe. Então corremos de volta pra pousada, com as pernas e o queixo tremendo. Não contamos pro resto do pessoal, porque senão ia ficar todo mundo assustado, não valia à pena. Dissemos que o celular tinha caído no mar... e parecia que seria só isso.

Mas hoje pela manhã, estávamos no mesmo lugar, e o cara voltou, com a mesma roupa, encarando a gente, e ainda abriu o celular bem como se dissesse: "Estou aqui, não tenho medo de vocês, e posso voltar e pegar mais alguma coisa." Mas dessa vez ele nos viu com as câmeras na mão, e deu a volta, pra nos abordar por trás. Chamamos o restante do pessoal, e resolvemos vir embora, e a turma vai pousar aqui em casa, essa última noite. O que eu não aguentei foi a cara de pau do sujeito, de voltar, e ficar nos cercando, mesmo com muitas outras pessoas por perto. E também a dona da pousada que, em vez de agir, chamar a polícia ou coisa que o valha, ficava só repetindo: "Com certeza ele não é daqui da região, aqui nunca aconteceu isso." Ah, tá, e como ela pode garantir que ele não é dali, só porque nunca aconteceu isso??? Aff, tem gente que pensa que todo mundo é desprovido de inteligência.

Bem, isso foi chato, chato mesmo, mas não tirou o brilho desses dias, que foram muuuuito agradáveis. A chuva ia e vinha, e tiramos a prova de que não somos feitos de sal, papel ou açúcar, porque ninguém derreteu!!!

Ontem fomos a Itacaré, e a chuva lá estava de um jeito que nem descemos do carro. Voltamos e resolvemos ir na praia de Jeribucaçu, 4km de estrada de chão e depois mais 40 min de caminhada descendo por uma trilha nada fácil. O pensamento era: "Como é que vai ser pra voltar????" Bom, o visual compensou o esforço, mas não sei se volto lá, não!!! A subida foi por outra trilha, um pouco menos íngreme, mas... senti plenamente o peso das décadas nas costas e nas pernas!!!!

Bom, imagens dizem mais que palavras, não é? Ó elas aí, então!!!



Amanhã posto as fotos da Cachoeira do Tijuípe!

Nenhum comentário: