11.3.07

Trilha para a visita

Nem sei se algum dia eu falei de política por aqui. Não é do meu feitio, esse é meu "lugar de refúgio virtual", e política normalmente me deixa enojada, não costumo "sujar" meu cantinho com esse tipo de assunto.

Mas hoje vi na comunidade "Chico Buarque de Hollanda", no orkut, um tópico interessante, e resolvi trazer pra cá, adaptando e pinçando algumas respostas ao tópico: Que música do Chico seria tema da visita de Bush?
"Na musicografia de Chico Buarque tem música para todos os momentos de uma pessoa, e claro, deve ter uma para esse momento , para esse incidente na vida do Brasil. Qual seria a música dele que poderíamos ter cantado quando "aquele" cidadão desembarcou do "Air Force One" em solo sagrado brasileiro?"

As possibilidades:

1. Apesar de você
Hoje você é quem manda, falou, tá falado, não tem discussão.
A minha gente hoje anda falando de lado e olhando pro chão, viu?
Você que inventou esse estado e inventou de inventar toda a escuridão
Você que inventou o pecado esqueceu-se de inventar o perdão.
(...)
Quando chegar o momento, esse meu sofrimento vou cobrar com juros, juro
Todo esse amor reprimido, esse grito contido, este samba no escuro
Você que inventou a tristeza ora, tenha a fineza de desinventar
Você vai pagar e é dobrado cada lágrima rolada nesse meu penar.

Apesar de você, amanhã há de ser outro dia.
Inda pago pra ver o jardim florescer, qual você não queria.
Você vai se amargar vendo o dia raiar sem lhe pedir licença.
E eu vou morrer de rir, que esse dia há de vir antes do que você pensa
(...)

2. Roda Viva
"Tem dias que a gente se sente como quem partiu ou morreu...
A gente estancou de repente, ou foi o mundo então que cresceu?
A gente quer ter voz ativa, no nosso destino mandar
Mas eis que chega a roda-viva e carrega o destino pra lá...

Roda mundo, roda-gigante roda-moinho, roda pião
O tempo rodou num instante nas voltas do meu coração.

A gente vai contra a corrente, até não poder resistir
Na volta do barco é que sente o quanto deixou de cumprir..."

(...)

3. Vai trabalhar, vagabundo
"Vai trabalhar, vagabundo! Vai trabalhar, criatura!
Deus permite a todo mundo uma loucura!"

4. Deus lhe pague
"Por esse pão pra comer, por esse chão pra dormir
A certidão pra nascer, e a concessão pra sorrir
Por me deixar respirar, por me deixar existir
Deus lhe pague!

Pelo prazer de chorar e pelo "estamos aí"
Pela piada no bar e o futebol pra aplaudir
Um crime pra comentar e um samba pra distrair
Deus lhe pague!

(...)

Por mais um dia, agonia, pra suportar e assistir
Pelo rangido dos dentes, pela cidade a zunir
E pelo grito demente que nos ajuda a fugir
Deus lhe pague!"

(...)

5. O jumento

Jumento não é, Jumento não é o grande malandro da praça:
Trabalha, trabalha de graça!
Não agrada a ninguém, nem nome não tem,
É manso e não faz pirraça.
Mas quando a carcaça ameaça rachar,
Que coices, que coices, que coices que dá!

O pão, a farinha, feijão, carne seca quem é que carrega? Hi-ho
O pão, a farinha, o feijão, carne seca limão, mexerica, mamão, melancia,
Quem é que carrega? Hi-ho
O pão, a farinha, feijão, carne seca limão, mexerica, mamão, melancia
A areia, o cimento, o tijolo, a pedreira quem é que carrega? Hi-ho"

6. Passaredo
(...)
" Bico calado, toma cuidado
Que o homem vem aí!
O homem vem aí..."


7. Vida
" Vida, minha vida... Olha o que é que eu fiz:
Deixei a fatia mais doce da vida
Na mesa dos homens de vida vazia!
Mas, vida, ali quem sabe, eu fui feliz?"

8. Não sonho mais
Hoje eu sonhei contigo, tanta desdita, amor nem te digo
Tanto castigo que eu tava aflita de te contar
Foi um sonho medonho desses que às vezes a gente sonha
E baba na fronha, e se urina toda e quer sufocar.

Meu amor vi chegando um trem de candango
Formando um bando mas que era um bando de orangotango pra te pegar
Vinha nego humilhado, vinha morto-vivo, vinha flagelado
De tudo que é lado vinha um bom motivo pra te esfolar

Quanto mais tu corria, mais tu ficava, mais atolava
Mais te sujava, amor, tu fedia, empesteava o ar.
Tu que foi tão valente chorou pra gente, pediu piedade
E, olha que maldade, me deu vontade de gargalhar!

Ao pé da ribanceira acabou-se a liça e escarrei-te inteira
A tua carniça e tinha justiça nesse escarrar
Te rasgamo a carcaça, descendo a ripa, viramo as tripas
Comendo os ovos, ai, e aquele povo pôs-se a cantar!"
(...)

9. O Velho Francisco
Já gozei de boa vida, tinha até meu bangalô,
Cobertor, comida, roupa lavada.
Vida veio e me levou.

Fui eu mesmo alforriado pela mão do Imperador
Tive terra, arado, cavalo e brida.
Vida veio e me levou.

Hoje é dia de visita, vem aí meu grande amor
Ela vem toda de brinco, vem todo domingo.
Tem cheiro de flor.

Quem me vê, vê nem bagaço do que viu quem me enfrentou
Campeão do mundo em queda de braço
Vida veio e me levou.

Li jornal, bula e prefácio, que aprendi sem professor
Freqüentei palácio sem fazer feio.
Vida veio e me levou.

Eu gerei dezoito filhas, me tornei navegador,
Vice-rei das ilhas da Caraíba.
Vida veio e me levou.

Fechei negócio da China, desbravei o interior
Possuí mina de prata, jazida.
Vida veio e me levou.

Hoje é dia de visita, vem aí meu grande amor
Hoje não deram almoço, né?
Acho que o moço até nem me lavou.

Acho que fui deputado, acho que tudo acabou...
Quase que já não me lembro de nada.
Vida veio e me levou.
"

E aí? O que vocês acham? Cabe alguma dessas? Ou não? Ou muito pelo contrário? Ou outra? Quer escolher? Eu deixo!

Nenhum comentário: