21.5.07

O que acontece agora?

Pronto!

Romário fez o milésimo gol. Exatamente como Pelé, a não ser pelo fato que não foi no Maracanã. A reportagem do "Bom dia Brasil" mostrou tudo no melhor estilo: "Pelé fez isso... Romário também."

Ah, como diz a Jady... Peraí que eu vou ali, vomitar. Se eu já não tinha estômago pro Vasco, desde um tempo atrás quando um não-tão-amigo-assim a cada 10 palavras 11 se referiam ao Vasco, depois dessa overdose pelo tal milésimo gol, é que nem Vomex dá jeito.

Tudo bem, acho que está certo a pessoa "se festejar", eu mesma faço isso, é uma questão de auto-estima. Mas tem horas que passa do limite. O Próprio Pelé não se refere a si mesmo como "eu", mas como "o Pelé". E Romário ontem, depois de ter dito a não-sei-que-repórter que estaria "iluminado" ao dizer as primeiras palavras pós gol 1.000 (Até parece um brasileiro comum comprando seu primeiro carro...) não falou nada com nada, um monte de repórteres invadiram o campo com câmeras e microfones... Se eu fosse o juiz, expulsava ali na hora mesmo! Por acaso é permitido dar entrevista dentro do campo em pleno jogo??? Ai ai ai... Leis que valem quando se quer é uma coisa séria. E além dos repórteres, entrou a família, mãe, mulher, filhos, e ele troca de camisa (escrito 1.000) e fica tudo por isso mesmo. Lembro de uma vez que um jogador recebeu cartão amarelo só pq tirou a camisa depois de um gol, só pra deixar aparecer na camisa de baixo uma homenagem não sei a quem.

(Bom, mas pelo menos ele "agradeceu a papai do céu". Escapou da maldição da minha mãe, que disse que ele ia morrer ou ficar aleijado antes de fazer esse gol, porque aceitou o que a torcida gritava: "Se Deus é dez, Romário é mil". Eu não chego a tanto, mas que eu tava torcendo contra, tava, não nego e não tenho vergonha.)

Mas "o baixinho" pode, fazer o quê? Torcer (aff que até essa palavra me dá gastura) pra que não apareça outro assunto "importante" como esse - é a tal da Agenda setting hehe, eu lembro das aulas de Teoria da Comunicação - e faça com que o país volte a atenção pra o que realmente importa.

Nenhum comentário: