31.8.07

Eu e a vida

"Vem me pedir além do que eu posso dar.
É aí que o aprendizado está...
Vem, de onde não sonhei, me presentear.
Quando chega o fim da linha,
e já não há aonde ir...
Num passe de mágica,
a vida nos traz sonhos pra seguir.
Queima meus navios pr'eu me superar,
as vezes pedindo que ela vem nos dar:
O melhor de si.

E quando vejo,
a vida espera mais de mim,
mais além, mais de mim...
O eterno aprendizado é o próprio fim!
Já nem sei se tem fim...
De elástica, minha alma dá de si
Mais além, mais de mim.
Cada ano a vida pede mais de mim
mais de nós, mais além...

Vem me privar, pra ver o que vou fazer.
Me prepara pro que vai chegar...
Vem me desapontar pra me ver crescer
Eu sonhei viver paixões, glamour,
num filme de chorar...
Mas como é Felini, o dia-a-dia
minha orquestra a ensaiar,
entre decadência e elegância zique-zaguear
Hoje, aceito o caos.

E quando vejo, a vida espera mais de mim
mais além, mais de mim...
O eterno aprendizado é o próprio fim.
Já nem sei se tem fim...
De elástica, minha alma dá de si
Mais além, mais de mim...
Cada ano a vida pede mais de mim
mais de nós, mais além..."


Jorge Vercilo

Este é o tipo de post onde alguém já disse tudo o que eu queria dizer. E aí eu fico muda, as palavras morrem na boca (ou na ponta dos dedos). Porque já não se fazem necessárias, porque não quero dizer mais nada... mas ao mesmo tempo querem que eu reafirme o já dito.

Então volto ao texto alheio original e grifo o que me é gritantemente verdadeiro. E quando dou por mim... está o texto todo grifado. Sem esquecer uma palavrinha... porque simplesmente é EXATAMENTE o que estou sentindo agora. O elástico esticado, parece que vai romper... mas ainda resta um pouco a ser puxado, extraído... Entre presentes e privações, ziguezagueando entre a elegância e a decadência, me desapontando e exigindo superação. Assim é a vida. O caos que gera todo um novo mundo.

Nenhum comentário: