1.11.07

Nasceu!!!

Ou melhor, nasceram. Trigêmeos, logo. Me senti a própria Fátima Bernardes saindo da maternidade. (Para entender melhor a metáfora, leiam aqui o texto dos meus "agradecimentos".)

E como boa mãe, cumpre-me avisar aos amigos da chegada dos bebês, com 83 páginas de tamanho total, incluindo apêndices (fotos, arquivos de áudio e vídeo) e anexos, com saúde e perfeitos.

Bem... acho que não sou uma mãe tão boa assim, porque mal nasceram, os entreguei para adoção; não sem antes fotografá-los bastante, beijá-los e mimá-los enquanto pude. Preciso acreditar que eles irão para boas mãos, para lares que vão cuidar deles com muita atenção, ainda que não seja com o amor de mãe. E vão voltar dentro de 2 semanas aproximadamente, trazendo tatuada no bumbum a nota que a mamãe merece pela produção.

Como todo trabalho de parto, esse foi doloroso. Muita coisa que estava dada como certa e terminada ainda precisou ser alterada, e quem já passou por isso sabe: final de gravidez é a pior parte. A mulher fica chata, estressada, nervosa, querendo logo se ver livre do incômodo, e pegar em seus braços o filho que veio de dentro dela e é parte dela. Pois esses dois últimos dias foram de lascar. Não quero nem lembrar todas as coisas que deram errado, e que ameaçaram a paz e tranquilidade que uma mulher grávida merece ter. Mas, como diz meu "obstetra", faz parte do processo.

Depois de tudo passado, resta um sentimento inexplicável, difícil de colocar em palavras. É alívio misturado com um vazio... amor e ódio, tristeza e esperança, medo e confiança. Ou sei lá o que seja. As emoções se sucedem e se alternam em intervalos cada vez menores como os das contrações. E como foi sem anestesia, acho que vai ficar doendo por algum tempo. Até as coisas se encaminharem para uma nova gravidez, seja num mestrado ou numa pós-graduação.

Ninguém saiu distribuindo charutos, mas saímos pra comemorar. E não podia passar nenhum conhecido que não fosse logo comunicado (pegou, pegou?): Entregamos a monografia!!! A essa altura, ninguém se importa se o bebê é bonito ou feio, que cor são os olhos ou o cabelo. Se é da área de rádio ou de vídeo, se é monografia mesmo ou produto com memorial descritivo. Se a nota é 10 ou 7. O importante é, quando chegar a hora, receber da banca o veredito: APROVADO.

Como boa comunicóloga, encerro o anúncio da chegada das crianças com imagens dos momentos cruciais.



Nenhum comentário: