20.11.07

Uma outra educação

Já que falei em educação, no post passado... vou tocar em outro ponto, outro tipo de educação. A formal. Outro dia recebi no orkut um scrap assim:

XXXXX: (Preservando a identidade por motivos óbvios)
Ñ CEI SE SAB MAS AMO VC DE MUITO

Fiquei alguns minutos olhando, olhando, tentando entender o que leva uma criatura que está no ensino médio a escrever assim. É certo que a informalidade de escrita trazida pela internet, mais especificamente pelos programas de chat e mensagens em tempo real,veio alterar a maneira de nos expressarmos. Mas uma coisa é usar "vc", "pq", "qdo". Outra é redigir de maneira quase incompreensível. Mas isso é outro assunto.

Vamos voltar ao scrap recebido.

1. Não é somente porque eu odeeeeeeeeio escrita em CAIXA ALTA, mas porque na netiqueta (etiqueta para internet), escrever em maiúsculas é GRITAR. No mínimo, é grosseria.

2. Bom, eu CEI que essa pessoa precisa de aulas de português. E se eu disser que conheço a professora de português dela, a pobre (professora) vai ficar com vergonha.

3. O que "cerá" que "cignifica" "AMO VC DE MUITO"? Eu juro que tenho dúvidas desse amor, e não é apenas pela construção da frase, não. Questiono muito quem sai por aí dizendo que ama, sem mais nem menos. Amor barato, de boca, pra todo mundo, é AMOR??? Ó, quando eu disser que amo, é porque amo mesmo. E não largo essas palavrinhas preciosas de qualquer jeito e pra "qualquer um", não.

Então fiquei na dúvida se simplesmente deletava, se respondia por educação (isso não faz muito o meu estilo), ou se dava uma de professora e respondia corrigindo os erros. Ainda bem que encontrei uma alternativa, e transformei minha revolta num post!!!

Não adianta dizerem que o problema é que "o português é uma língua muito difícil", e coisas no gênero, que não justifica. Isso é falha "do sistema" em primeiro lugar, e "da própria peça", em seguida. Alguém que lê, nem que seja gibi, vai, automaticamente escrever corretamente. Na minha cabeça é tão simples... basta despertar nas crianças o desejo de ler, o amor e o prazer na leitura. Pronto! Já teríamos uma geração comprometida com a boa linguagem. Será que seria pedir demais???

Em tempo: deletei sem responder.

Nenhum comentário: