23.7.08

Meninos e meninas

Ontem recebi do Namorado um e-mail SEM GRAÇA falando sobre o sexo dos computadores. (Acho que vocês conhecem, então não vou transcrever aqui). Fiquei &$%*@&#* mas respondi delicadamente: "depois vamos analisar detalhadamente o e-mail sobre computador ou computadora". Pois não é que o moço trouxe o e-mail impresso, pra analisar??? Só rindo...

Bem, sobre a análise, digo que concordei com 2 pontos, dos 10 existentes. Mas ele nem comentava nada, só ria... não sei se da minha cara de indignação ou da situação mesmo... tudo bem, o e-mail terminava dizendo: "e os homens não podem viver sem eles." (os computadores)

Hoje li um poema que fala melhor da mulher. Na verdade, da menina. Mas, que mulher não é uma menina???


"Menina, como se sabe,
não tem força de menino
mas tem enorme coragem
de se jogar por inteiro,
no poço de seu destino .
Pela coragem,
menina sabe ficar pequenina.
E, também, no mesmo instante
-quando menos se espera-
menina vira um gigante!"

(Ziraldo, em Menina das Estrelas)

*********
Em tempo:

Esta é a primeira obra de Ziraldo sobre o universo feminino. Ele comentava sobre seu livro O Menino da Lua em um encontro com jovens leitores em Vitória-ES, quando foi questionado por uma menina, Gabriela: por que não há nenhuma menina entre os amigos de Zélen? [o Menino da Lua]. Ziraldo não deixou barato: Além de escrever Menina das Estrelas, foi lançar o livro em Vitória, ano passado, logo depois do lançamento nacional na Bienal do Livro, em São Paulo. E fez questão de ir no Colégio Marista, entregar o livro a Gabriela.

Menina das Estrelas vem numa latinha (pink, of course), junto com uma camiseta. Só achei de muito mau gosto ele lançar também um CD com o livro narrado... pela Xuxa. Aff...

Mais em tempo ainda:

É dose dar informação conseguida na net... Ou será que a dose é um site que não é atualizado????
No site oficial de Ziraldo, na lista de obras não consta Menina das Estrelas, e consta um outro (certamente anterior), Menina Nina. Então, pessoas... sei lá se esse é o primeiro... mas que o poeminha vale à pena, ah, isso vale.

Nenhum comentário: