20.11.08

Amigo é casa


Amigo é feito casa, que se faz aos poucos e com paciência, pra durar pra sempre. Mas é preciso ter muito tijolo e terra, preparar reboco, construir tramelas. Usar a sapiência de um João-de-barro que constrói com arte a sua residência. Ah, que o alicerce seja muito resistente que às chuvas e aos ventos possa então a proteger.

E há que fincar muito jequitibá e vigas de jatobá, e adubar o jardim e plantar muita flor, toiceiras de resedás… Não falte um caramanchão pros tempos idos lembrar, que os cabelos brancos vão surgindo que nem mato na roceira que mal dá pra capinar… E há que ver os pés de manacá cheios de sabiás, sabendo que os rouxinóis vão trazer arrebóis. Choro de imaginar!

Pra festa da cumieira não faltem os violões! Muito milho ardendo na fogueira e quentão farto em gengibre, aquecendo os corações.

A casa é amizade construída aos poucos e que a gente quer com beira e tribeira, com gelosia feita de matéria rara e altas platibandas, com portão bem largo que é pra se entrar sorrindo nas horas incertas, sem fazer alarde, sem causar transtorno. Amigo que é amigo, quando quer estar presente faz-se quase transparente, sem deixar-se perceber.

Amigo é pra ficar. Se chegar, se achegar, se abraçar, se beijar, se louvar, bendizer… Amigo a gente acolhe, recolhe e agasalha e oferece lugar pra dormir e comer. Amigo que é amigo não puxa tapete, oferece pra gente o melhor que tem e o que nem tem. Quando não tem, finge que tem, faz o que pode. E o seu coração… reparte que nem pão.

(Capiba / Hermínio Bello de Carvalho)

Cheguei chorar de ler e ouvir isso. Construir uma amizade demora… é claro que tem algumas que a gente constrói instantaneamente, são pré-fabricadas, mas nem por isso menos resistentes ou valiosas.

Mas chorei porque tantas vezes depois de uma construção cuidadosa e demorada, vem uma bomba (ou furacão, ou tsunami) e bota a casa abaixo. E nem venha ninguém me dizer que caiu porque era como as dos dois primeiros porquinhos, sem alicerces. Quem viu os estragos do Katrina em New Orleans, da tsunami na Indonésia ou das bombas no Oriente Médio vai poder dizer que as casas foram destruídas porque eram frágeis?

E é por isso que dói. Porque tudo que foi investido ali se perde, como se nunca tivesse existido. Ou pior, dói mais porque a gente SABE que existiu, e que perdeu.

Não, eu não tive nenhuma decepção de amizade hoje, não. Foi só a música que bateu lá no fundo.

E eu agradeço a Deus pelas casas construídas (praticamente uma cidade, não uma megalópole, mas uma cidade) e que me fazem sentir abrigada.

Porta-retrato

Ah, pena que não tenho ainda uma foto com a .Intense. que está mudando a idade hoje. Parabéns, querida! Que seu dia seja intenso e mágico!!!

UPDATE: Jady, não tem foto sua - e de mais outras pessoas - porque meu HD é pequeeeeno (80Gb) e não dá pra manter todas as fotos nele. Aí tive que fazer a montagem com as que tinha à mão. Masss... depois da reclamação, corri no orkut e catei umas outras do meu álbum Estou falando de amizade, do qual você é a CAPA!!!

Minhas imagens

Nenhum comentário: