19.6.09

Feliz aniversário, meu amor!

Não, Namorado, não é você. Hoje, 19 de junho, é aniversário do meu grande amor, amor que existe desde a adolescência, quando eu não fazia idéia do quanto ele iria ser sob medida pros carinhos meus.

Aquele que, como eu, faz samba e amor até bem tarde, por isso tem muito sono de manhã.  Que me ama tanto, e de tanto amar, acha que eu sou bonita. E eu acredito. Aquele que me diz “benvinda no meu coração”.

Aquele que tem um violão e nós vamos cantar. Aquele que,  modéstia à parte, nasceu pra sambar e deixa a menina aqui sambar em paz. E que dança tanta dança que faz a vizinhança toda despertar, pois é preciso cantar e alegrar a cidade. (Se todo mundo sambasse seria mais fácil viver!)

Aquele que quer ficar no meu corpo feito tatuagem e tem um jeito manso que é só seu.

Aquele que vai me velar, chorar, vai me cobrir e me ninar, pois pela sua lei a gente é obrigado a ser feliz.

Aquele que eu vou amar enquanto eu puder cantar, enquanto eu puder sorrir.

 

 

(Escrito durante o dia  19 e só publicado à noite, quase no dia seguinte, por questões alheias à minha vontade.)

Nenhum comentário: