13.7.09

Veja? Eu não vejo.

Me espantei ao ver a blogueira Liliane Ferrari na reportagem de capa da Veja! Ui! #foraSarney e #MichaelJackson deram lugar a um assunto novo (?)… Mas será que valeu?

Alguém está interessado na minha opinião?

Pois eu respondo assim mesmo, afinal de contas, a pauta aqui é minha. Achei a reportagem da Veja um primor de ignorância. Será que ainda existe quem enxergue a internet como “um vasto ponto de encontro de contatos superficiais” ??? Só se for alguém que usa a web apenas para ler jornais, e fazer pesquisas. Eu tô cansada demais pra discutir, mas precisava registrar. Quem tem, como eu, AMIGOS que me recuso a chamar de virtuais, porque são às vezes mais reais do que aqueles que estão na sala ao lado, não pode encarar essa matéria e ficar calado.

E ao contrário do que uma criatura imbecil infeliz falou, ["A parte mais difícil de conhecer uma namorada on-line é que você nunca pode ter certeza de que ela é realmente como se apresenta no site", diz Raul. "Eu tive sorte."], TODAS as pessoas que conheci primeiro na net e depois pessoalmente foram iguais ou melhores do que pela telinha. Ainda lembro que a Amanda quando me viu disse: “Você é igualzinha na foto!” E a gente riu muito, porque pra mim, era a coisa mais comum e normal do mundo ser igualzinha à foto!

[Manifestem-se Jady [e Nilo], Sofia, Carol, Tâmara, Karine [e Leandro], Rodrigo e Amanda (que já não escrevem mais nos blogs) e mais seiláquantos que já tive o prazer de conhecer ao vivo e a cores!]

E quanto à profundidade dos relacionamentos construídos e mantidos através da tela do computador, só quem experimentou pode falar. E eu duvi-de-ó-do que essas pessoas [me recuso a chamar de jornalista quem escreve uma matéria de capa e não apresenta os dois lados da situação] tenham qualquer vivência de verdade da web 2.0.

Eu fico é extremamente feliz quando vejo Dinah do alto de sua inexperiência internética não somente escrever no blog, mas fazer do haloscan um chat onde entram filhas e netos, amigos próximos(como eu) ou distantes, e os seus novos amigos virtuais [argh! Tenho que achar uma outra palavra pra eles!]. E contrariando todas as espectativas – próprias, inclusive – ela está curtindo adoidado o bicho maluco que é o computador.

Se eu já não gostava da Veja, essa matéria veio mesmo pra completar meu desgosto. E no complemento dela ainda tem a imbecilidade (não consigo encontrar outra palavra) do teste amizade online. Arrrrgh! Fiz, só pra ver no que dava. E olhem:

O FANÁTICO – Sua presença na internet está predominando sobre sua vida real. Procure sair mais de casa e encontrar seus amigos pessoalmente.

É mole??? Eu curto a vida e meus amigos ao vivo com muita intensidade, vou à igreja, à praia, ao cinema, viajo, namoro, trabalho, faço mestrado… e ele vem me dizer pra eu “sair de casa e encontrar meus amigos pessoalmente”???

Que nada! Tchauzinho, Veja. Prefiro meus amigos online do que você!!!

Só pra vocês terem idéia dos absurdos, vejam o quadro abaixo com as definições das diversas redes sociais.

veja

Clique para ampliar

E se quiser ficar com mais raiva, vai lá ler a reportagem na íntegra. Que se chama “Nos laços fracos da internet”. (Amor, se os nossos laços são fracos, o que será um nó, hein???)


UPDATE: Manifesto da Jady.

Nenhum comentário: