6.8.09

Dos perigos e avisos

Desde crianças, convivemos com os avisos de “perigo!”: Não mexa, não toque, cuidado, segure, devagar, e tantas outras expressões que, se usadas em demasia terminam por se tornar inócua e ser ignoradas. Um desses avisos é sobre o câncer de pele e o cuidado com o sol. Coisa que “todo mundo sabe”, mas nem todo mundo liga pra usar protetor TODO DIA.

Comecei falando dos avisos, a propósito de algo que estou vivendo nos últimos dias. Há pouco mais de uma semana percebi uma alteração na minha pele, coisa pequena, mais ou menos do tamanho da ponta do meu dedo, logo abaixo do pescoço.

pele 002-1

Vi no espelho, pois não foi algo que começou doendo ou coçando. Comentei com Namorado, e ele disse logo: “tem que ir ao médico”. Mas quem foi que disse que eu consigo tempo pra ir ao médico? As aulas acabaram de recomeçar, e o ritmo está frenético:8h de aula por dia, da mesma disciplina. Isso além das 8h de trabalho diárias, que, grazzie Dio é no mesmo lugar e dá pra embolar as 16, transformando-as em 10.

Mas, então,  hoje cedo o trocinho começou a coçar. Não sei se isso é bom ou ruim, em se tratando de saúde,  mas o fato de coçar foi bom, pois me levou a correr pro telefone e marcar uma consulta com a Dra. Dermatologista. Pronto, segunda, dia 17, pela manhã (nesse dia não tenho aula) estarei lá, pronta para, se ela quiser, passar logo o bisturi (ou coisa que o valha) e resolver logo o assunto.

Resolvi falar sobre isso aqui, por dois motivos. O primeiro foi o artigo que li na revista Papo de Homem, sobre câncer de testículos, onde um anônimo conta sua experiência.  O outro motivo é que recentemente estive com uma pessoa que se sentiu constrangida em dizer que estava tomando antidepressivos.

Juntando as duas situações e resumindo:

Não fico constrangida em dizer que estou com um problema de saúde, seja ele qual for. É coisa minha, sei que nem todo mundo é assim, que tem gente que se sente seiláoque se os outros souberem que está doente. [Já tive medo de tomar antideprê, mas a argumentação da minha amiga-irmã que também é médica me convenceu de uma vez: “diabético é dependente de insulina; hipertenso é dependente de remédio pra baixar a pressão. Por que seria problema se você precisasse viver o resto da vida tomando antidepressivos?”]

Será que isso que apareceu em mim é um câncer de pele? Não sei, mas já estou indo saber. E é bem possível, pois meu pai tem, e anualmente faz uma “limpeza” dos sinais perturbadores da paz. Já faz algum tempo que não tomo sol sem proteção, mas o efeito nocivo dele é cumulativo, então o sol da infância/adolescência pode estar mostrando suas garras agora… Se for, problema nenhum: faço o que precisar fazer. E vou fazer também o que já devia ter feito: usar protetor solar TODO DIA. [Tá, eu sei, isso eu já sabia, mea culpa.] Se não for, se for somente uma irritaçãozinha, a Dra. vai dizer o que fazer, e eu faço. Mas de um jeito ou de outro, PROTETOR TODO DIA, galera!

Nenhum comentário: