28.1.10

“Eu sou o rei de uma terra”

Márcia Mascarenhas

Sou rei de uma terra
Desconhecida, nunca antes vista,
Sou dono de uma terra

Onde não há gente sofrida.
Onde todos têm os mesmos direitos
E deveres também Eu sou o rei
Onde o mau não habita
Só tem espaço para o bem!
Sou rei de uma terra
Que é multicolor.
Alma branca, alma negra.
Alma de tudo quanto é cor.
Mas o que se vale mesmo
É o amor que lá existe
Todos amam uns aos outros.
(Clica que aumenta)
Lá, nem a feiúra é triste!
Sou rei de uma terra
Onde habita o nascimento,
Não a dor, não há inveja,
Não há ninguém ciumento
O meu reinado é longo.
Pois todos somos Reis, lá.
Vai durar a eternidade,
Ou até quando alguém inventar
Uma forma diferente,
De dar asas á imaginação
E fazer um outro mundo
Onde eu não me encaixe, não.
Mas isso só vai acontecer
Se meu mundo se destruir,
Mas creio que seja difícil,
Duvido alguém conseguir
Acabar com a minha mente
Meu pensamento deixar de existir.

Márcia Gabrielle é neta de Marido, e eu brinco dizendo que é minha neta. Mas tem idade pra ser minha filha, neta não! Tem um jeitinho de maluketebeleza, mas tem uma cabeça boa. Quero dizer, quem cursa Filosofia pode lá ter cabeça boa???

23-01-2010 085

Bom, ela escreve num blog que adora mudar de nome… e eu nunca sei como está se chamando. Colocou este poema no perfil do orkut (vide foto), eu vi lá e não resisti em postar aqui. É claro que está lá no blog dela… mas eu nem ligo!!!

Obrigada, Gabi!

Nenhum comentário: