14.6.10

É por isso que dá certo…

Marido escreveu um post no Blog da Consultic sobre Rui Rocha. E intitulou “Para conhecer imageRui Rocha”. Ele “conhece” Rui en passant, Ilhéus é uma cidade relativamente pequena, Rui tem projeção regional… e eles cantaram juntos no Coral Vitória Encantos. Mas eu conheço Rui faz tempo.  Conheço Rui dentro de casa, lembro de quando ele e Faura compraram o sítio em Serra Grande e a “casinha de boneca” era nosso pouso durante os finais de semana de trabalho em Serra. Vi Luana nascer e fui com outras duas Anas comprar TODO o enxoval, já que os pais desligados foram pra o Hospital Manoel Novaes esperar a princesinha sem uma roupinha pra  vestir. Foi na casa de Rui e Faura que comi rúcula pela primeira vez, e eles eram piada interna em nossa casa, quando comíamos “porcaria” e falávamos: “já pensou, tio Rui e tia Faura comendo isso?” Porque eles sempre foram “naturebas”. Na época, eu nem me tocava ou sabia o que significava a palavra “AMBIENTALISTA”. Foi Rui quem me mostrou essa maneira de ver a vida, de pensar na natureza como algo a ser preservado, cuidado e resguardado de quem pudesse atrapalhar sua continuidade pacífica.

Pois então, quando o Projeto Porto Sul (procurem no Pai Google, se não souberem o que é, tô com preguiça agora) começou a ser notícia, eu trabalhava como produtora na Rádio Santa Cruz, e levei Rui para uma entrevista no Alerta Geral. Foi o estopim pra a coisa toda. A entrevista chamou a atenção do povo, assim como das empresas/ONGs/demais interessados. E Rui começou a ser alvo de calúnias, fofocas e intrigas.

Chegaram a dizer que ele só era contra o Porto Sul  porque tinha “terras” em Serra Grande. (E eu me declarei contra logo no começo da discussão, sem ter nada…), que ele ganhou dinheiro do Trade Turístico para ser testa-de-ferro contra a BAMIN… ah, disseram um monte de coisa.  E eu só sabia responder: “Eu conheço Rui, ele não é assim…”

Até que Marido encontrou, por acaso, a entrevista no Museu da Pessoa, que Rui deu em 2005, antes do infame Porto Sul ser pensado. E, lendo, ele descobriu Rui. E pediu permissão pra divulgar a entrevista, que Rui nem lembrava mais que havia dado. Permissão concedida, post escrito. E eu, feliz,  de ouvir Marido dizer: “quem fala assim é porque sente, não é por interesse financeiro, ou qualquer outro motivo, não…”

E assim, Marido é a favor do Porto Sul, com condicionantes ambientais, eu continuo contra, mas sabendo que vai acontecer, também vou batalhar pelas tais condicionantes… e aqui em casa, tudo fica em paz.

Vão lá no Blog da Consultic ler e voltem aqui pra me dizer alguma coisa.

Nenhum comentário: