21.7.10

Dá licença pra eu reclamar?

Tá, eu sei que tenho 1488 coisas pra agradecer (a Deus, a Marido, aos amigos, a meus pais…), minha vida está bem melhor do que a de muita gente, eu sei. Mas tem dias (que se seguem, não é um só) que as coisas irritantes se sucedem, e eu tô morrendo de vontade de fazer um post daqueles beeeeem reclamões, tá?

[Sei que é horrível ler reclamações, recentemente eu deletei um bocado de blogs do meu Reader, porque estavam “cinza” demais, então, quem não quiser ler, fecha a página, mas não me abandona completamente não, tá? As reclamações não são nem serão constantes. Juro.]

Minha enxaqueca vai e volta, não posso receber notícia ruim, sentir cheiro forte, tomar susto… tudo é motivo pra danada reaparecer. Chá de gengibre já está no fogo.

A morte tem passado muito perto de mim, de pessoas que eu amo, e essa impotência diante da Soberana me mata (trocadilho realmente infame). Lembro de trechos d’A Menina que roubava livros, e vejo como o Marcos Zusak foi feliz nas “falas” da morte.

“EIS UM PEQUENO FATO:
Você vai morrer.

(…)

REAÇÃO AO FATO SUPRACITADO:
Isso preocupa você?
Insisto – não tenha medo.
Sou tudo, menos injusta.

Não tenho conseguido falar com meus filhotes, e isso me faz muita falta. Sei que ela está bem (vejo pelo twitter) e ele também deve estar (notícia ruim chega logo, né isso?) Mas sinto saudade, sinto falta de conversar, de saber deles, de contar de mim… Ontem liguei 1488 vezes e recebia a seguinte mensagem dos telefones de ambos: “Este telefone está programado para não receber esse tipo de chamadas”. (Se algum dos dois estiver lendo isso, favor ligar para a mamãe #carente)

Fui ao médico esta semana, e o Dr. Otorrino descobriu que eu estou com uma rinite alérgica sem tamanho. Ok, pelo menos não é sinusite, a videoendoscopia nasal mostrou que não tem secreção nenhuma, só os “cornetos” inchados – inchadões, na verdade – e mandou fazer exame de sangue (5ml de sangue para UM único exame, que leva 5 dias pra ficar pronto, deve ser mesmo “o” exame – IGE Total) pra determinar em que grau está a alergia ou sei lá o que. Até sair o resultado, só posso lavar o nariz com soro fisiológico e aguentar o entupimento.

Isso me deixa dormindo mal, e quem me conhece sabe que eu sem dormir sou pior do que eu com fome. Fora que a cabeça começa a doer, fico com vontade de ficar deitada o dia todo, as leituras do mestrado e da pós ficam de lado… E meu mau humor Tepeêmico parece durar o mês inteiro. E olha que eu tô tomando meus remedinhos direitinho.

Tem um monte de coisas que preciso fazer, mas procrastinação está sendo meu sobrenome, e acúmulo de tarefas o nome do meio.

Tenho medo de que esse sono eterno seja sintoma de fuga, e não quero fugir de nada. Dá pra entender?

Meu trabalho de fotógrafa está meio-completamente parado, preciso investir em divulgação, arrumar meu blog de fotografia, atualizar a conta nova do Flickr (a antiga sumiu no vento, alguém dá notícias sobre isso?), mandar imprimir cartões de visita… ai, acho que é melhor dormir mesmo.

Ah, já deu pra vocês verem que a coisa não tá boa, mas, né? Sempre pode piorar. Então vou parando por aqui.

2 comentários:

Kadija Teles disse...

Ah, a vida é uma roda gigante, menina. Tem horas q a gente tá lá embaixo, tem horas q tá lá em cima, tem horas que tá meio termo..Ai,a vida...

Patricia Daltro disse...

Já te falei que você tem um colo aqui te esperando? Já que não dá para você vir, nem para eu ir, sinta-se abraçada, acarinhada e consolada! E fale pros filhos que vou puxar as orelhas deles por deixarem a mãe preocupada!
Sobre sua enxaqueca constante, é provável que seja a alergia que esteja intensificando as dores!

Beijos