24.8.10

O Melhor de mim

Não é difícil pra mim dizer, mostrar, falar daquilo que eu faço bem, do melhor de mim. Basta olhar a tag Eu por mim , que você vai ver que eu me conheço, me amo e o melhor: não tenho vergonha disso.

Mas existem dias em que seria bom ouvir outras pessoas dizerem que reconhecem o melhor de mim. Porque nesses dias, eu sinto como se NADA em mim prestasse, como se NADA me fizesse "valer a pena".

É como se o que eu tenho de bom fosse tão infimamente irrisório, que não chega aos pés daquilo que me falta, ou dos meus defeitos. Sim, eu tenho defeitos, e também não tenho vergonha disso. Por que teria? Ter defeitos é ítem essencial  no ser humano.

Mas apesar de ainda faltar quase um mês para o dia da Blogagem Coletiva da Elaine (estou escrevendo dia 23/08/2010 e ainda não sei se vou publicar hoje, amanhã ou no dia certo, 19/09) hoje senti vontade de me amar mais efusivamente. Estou precisando. Mas não estou conseguindo.

Então fui reler o Eu por mim, e encontrei algo que posso repetir agora:
O espelho não diz quem eu sou, diz somente quem me contém.
E quem eu sou? Sou o amor que me move a sonhar, crescer, criar… que me toma de maneira tão intensa, que às vezes dá vontade de chorar. Sou o ímpeto de justiça, de quem quer consertar o mundo, que se revolta com a maldade e tudo o que é mesquinho. Sou a doçura de quem se acha mãe daqueles a quem não pariu, que aconchega nos braços e enxuga as lágrimas. Sou a força que segura a barra de quem está triste, ferido ou magoado, que encoraja a buscar novos rumos, a fazer janelas nas paredes cinzentas. Sou também a fragilidade diante de um problema pequeno, como uma taça de cristal que se quebra com um vento mais forte. Sou a carência assumida de um porto seguro e sou o porto seguro pra quem é carente. Sou o calor do sol que aquece o corpo e o coração, sou o barulho da água que nasce da pedra. Sou o que amo, sou o que desejo. Nem melhor nem pior do que ninguém, mas não sou simplesmente o que se vê ou o que me dizem ser.
Sou gente. Gente que pensa, gente que é sincera, que se conhece e se reconhece. Sou mulher e sei que nesse mundo precisamos ficar lembrando a todo tempo que apesar de ser mulher sou capaz de fazer de tudo [inclusive dirigir] e não nego que isso me irrita.

Sou Amiga. Sou fiel. Sou honesta. Sou criativa. Sou eu. E isso é o melhor de mim.


Blogagem coletiva promovida pela Elaine, comemorando o 2º aniversário do seu blog: Um Pouco de Mim.

image

3 comentários:

Kelly disse...

Adorei sua participação, você escreve muito bem, adoro ler seus textos, beijos

Michele disse...

Beeeel, faz tempo que quis comentar aqui e não consegui. O espaço para comentários não era esse, era diferente, tinha que me loggar, só que o blogger dizia que minha conta não existia, enfim, após umas 20 tentativas, desisti! rs Que bom que hoje vou conseguir! :)


Muito obrigada pela força! Imagino a dificuldade que você passou em sua gravidez. A dificuldade pra mim é mais psicológica do que física. Às vezes cansa sentir tanto medo, sabe? Mas aí a tempestade passa, confio em Deus e mais um dia acaba! Sei que logo janeiro está aí e que minha princesinha vai nascer forte e saudável, como o teu moço está aí! :)

Quanto ao seu post, só nós mesmos podemos dizer quem somos, pois como foi dito, o espelho apenas reflete a imagem. É preciso olhar pra dentro, despir-se de nossas próprias armaduras, pra finalmente expormos o nosso "eu"!

Um beijo!

Elaine Gaspareto disse...

Bel,
Tem importância não...acho que nasceu porque era o momento de nascer. Fez bem a você? Porque a mim fez. Ando querendo me amar mais também, já que nem sempre fazem isso quando a gente precisa...
Se der, republique dia 19. Ou não. Vai que nasce outro...
Vou linkar este aqui por enquanto, tá?
E muito obrigada por participar.
Beijosssss