23.9.10

Porque é primavera...

Santiago dos Parques - 05-09-1010 070 A flores resistem até à terra "pobre" e ressecada pela falta de chuva e chegam, inundam o mundo de cores e aromas...

Adoro setembros, porque amo a primavera, com seu clima gostoso, sol mas não demais, friozinho suficiente pra fazer desejar o aconchego e dormir agarradinho. A primavera nos faz prestar mais atenção ao que está ao nosso redor, talvez porque as cores gritam por sua beleza.

Cecília Meireles vê, com algum pessimismo, a possibilidade da primavera um dia ser diferente. Eu prefiro pensar que dentro de mim ela sempre será o renascimento.

 

Saudação a Primavera

Cecília Meireles

"A primavera chegará, mesmo que ninguém mais saiba seu nome, nem acredite no calendário, nem possua jardim para recebê-la. A inclinação do sol vai marcando outras sombras; e os habitantes da mata, essas criaturas naturais que ainda circulam pelo ar e pelo chão, começam a preparar sua vida para a primavera que chega.

[...]

Mas é certo que a primavera chega. É certo que a vida não se esquece, e a terra maternalmente se enfeita para as festas da sua perpetuação.

Algum dia, talvez, nada mais vai ser assim. Algum dia, talvez, os homens terão a primavera que desejarem, no momento que quiserem, independentes deste ritmo, desta ordem, deste movimento do céu. E os pássaros serão outros, com outros cantos e outros hábitos, — e os ouvidos que por acaso os ouvirem não terão nada mais com tudo aquilo que, outrora se entendeu e amou.

Enquanto há primavera, esta primavera natural, prestemos atenção ao sussurro dos passarinhos novos, que dão beijinhos para o ar azul. Escutemos estas vozes que andam nas árvores, caminhemos por estas estradas que ainda conservam seus sentimentos antigos: lentamente estão sendo tecidos os manacás roxos e brancos; e a euforia se vai tornando pulquérrima, em cada coroa vermelha que desdobra. Os casulos brancos das gardênias ainda estão sendo enrolados em redor do perfume. E flores agrestes acordam com suas roupas de chita multicor.

Tudo isto para brilhar um instante, apenas, para ser lançado ao vento, — por fidelidade à obscura semente, ao que vem, na rotação da eternidade. Saudemos a primavera, dona da vida — e efêmera."

2 comentários:

Patricia Daltro disse...

Eu também acredito na primavera! Sou totalmente adepta do simbolismo do renascimento dessa época. E isso tem uma força tão grande em mim, que quase sinto as flores brotarem em meu peito, assim que setembro ameaça.

Lívia Inácio disse...

Estação mais linda,né!