26.10.11

Falando sozinha

Daí que eu me peguei com saudade do Google Reader. E depois de muito tempo [muito mesmo] clicando em “marcar tudo como lido”, hoje eu li um monte de coisa, incluindo os ítens compartilhados de Jady, Lile e Intense. E fiquei um tantinho triste por ver que minha vida de leitora voraz está quase morta. Se me perguntarem qual foi o último livro que li, sinceramente, não me lembro. (Sim, comecei a ler vários, mas não terminei nenhum ultimamente – entenda-se no último ano, eu acho).

E quando li um monte de posts altamente elaborados, textos grandes e densos… me senti tão pequena e tão pobre, diante do que tenho escrito! Se colocar o monte de blogs que tenho e/ou administro, chega a assustar. Mas conteúdo, conteúdo mesmo… acho que não tem muito, deve ser culpa da minha pouca leitura, afinal de contas, quem não lê, mal fala, mal ouve, mal vê e mal escreve, não é isso?

E olha que não sou modesta, se estou me criticando é porque acho isso mesmo. Quantas vezes me perco lendo meus próprios textos antigos aqui mesmo neste blog… e acho o máximo! Mas estou até com medinho de ir ler os mais recentes, de tão sem graça e sem sal que eles devem estar.

Não espero que este post seja bem escrito, ainda mais depois de ler tanta coisa boa. [Mas quando a gente está falando sozinha, não tem que dar satisfação a ninguém, a não ser que precise provar que não está doida, o que não é o caso. Aqui eu escrevo sozinha, e se quiser ler, eu deixo, na boa.]

Tenho fotografado bastante, e gostado do resultado, o que me deixa enlouquecida desejando publicar as fotos em livro ou numa exposição (ou várias), mas o que me resta é o Facebook e o Flickr – ainda falta atualizar o blog de fotografia.  Tenho ministrado cursos de fotografia e visto alunos fazerem fotos belíssimas. Mas o que eu queria mesmo1 era voltar a escrever bem. Sem precisar de impulsos externos, só colocando os pensamentos pra fora. Será que estou pensando pouco????

Tenho escrito textos acadêmicos, aceitos para publicação em periódicos conceituados… e se na minha dissertação fui “acusada” de escrever literariamente em vez de cientificamente... significa que perdi minha escrita característica, meu Deus? Acho que vou copiar uma das poesias de Dinah, quando ela fala da ausência da musa, em relação à sua escrita poética!…

O Pan de Guadalajara daqui a pouco acaba, e eu não vi nada. Não vi na TV nem li na internet. Soube de algumas coisinhas à toa, por comentários no twitter. Acho que eu preciso acordar pra muita coisa… Mas agora é hora de dormir, Marido já foi faz tempo.

“Eu tenho pressa e tanta coisa me interessa, mas nada tanto assim…”

 

 

 

____________

1- Mas sem perder o feeling e a técnica da boa fotografia, que fique bem claro!

6 comentários:

Tucha disse...

Fique tranquila menina. Cada tempo tem o seu propósito (lembra de Eclesiastes?) e vc está fotografando com muita sensibilidade e poesia. Pode ser chavão mas não dizem que imagens falam mais que palavras?

Telma Maciel disse...

Às vezes seu foco está um pouco mais voltado para a fotografia.
Eu tbm parei de ler com a frequencia que lia antes... nesse seugndo semestre já peguei dois livros pra ler. Não terminei nenhum deles... realmente a leitura influencia muito mesmo na escrita, mas ainda assim, fique tranquila! Com certeza é passageiro e vc voltará a escrever tão bem qto antes!
Beijo

Carla Ceres disse...

Calminha aí, Bel! Você escreve bem à beça. Acontece que faz uma porção de outras coisas bem também e quer fazer tudo ao mesmo tempo. Quer saber? Vai dormir! :) Dá uma folga pra você! Beijos!

Jady disse...

#2membros

Célia disse...

A engrenagem da vida vai nos consumindo que se não dermos um tempo para cada coisa, deixamo-nos engolir pelo sistema! Isso é fato. Ler é importante, sem dúvida alguma! Agora, Bel, dormir com seu marido, com seu amor é uma leitura a dois inviolável, sem plágios, indescritível e duradoura motivação! Já pra caminha! No mais, tá tudo ótimo!
Beijo da Célia.

Alcy disse...

Welcome to the club!