15.11.11

Sem título

‎"Eu gosto de quem facilita as coisas.
De quem aponta caminhos ao invés de propor emboscadas.
Eu sou feliz ao lado de pessoas que vivem sem códigos,
que estão disponíveis sem exigir que você decifre nada.
O que me faz feliz é leve e, mesmo que o tempo leve,
continua dentro de mim.
Eu quero andar de mãos dadas com quem sabe
que entrelaçar os dedos é mais do que um simples ato
que mantém mãos unidas.
É uma forma de trocar energia,
de dizer: você não se enganou, eu estou aqui.
Porque por mais que os obstáculos nos desafiem
o que realmente permanece,
costuma vir de quem não tem medo de ficar."


[Fernanda Gaona via Nancy Duque Magno]

 

Eu poderia dar exemplos de cada uma dessas pessoas/situações, e especialmente do “só que ao contrário”. Mas das primeiras, não precisa e das segundas, não vale a pena.

7 comentários:

Célia disse...

Disse tudo! Pois, "troca de energia" é sentimento indescritível. Sente-se com a alma!
Abraço, Célia.

Júuh . disse...

'O que me faz feliz é leve e, mesmo que o tempo leve,continua dentro de mim.'

muuito lindo Bel!
aah e quanto ao meu ultimo post, pode mandar pro Marido sim, sem dúvidas! :)

beeeijoca

Meri Pellens disse...

Adorei. Também não sou de decifrar códigos, já basta o HTML rs...
Beijinho e muita paz, querida.

Carla Ceres disse...

Gostei do texto da Fernanda Gaona, Bel. Sou fã de gente objetiva. Beijos!

Tucha disse...

Se a gente pudesse escolher ficar cercada de gente assim... mas nem sempre é possível. Mas os amigos podemos escolher neste grupo de pessoas.

Bel disse...

Vi uma mention no tuí, vim ver!
E fiquei orgulhosa!
Deu certinho, tem opção de curtir o comentário, de responder...bom demais!
Será que vou abandonar o sistema antiguinho do Blogger?
Beijosssssss

Bel disse...

Só não tem como moderar... Ou pelo menos eu não descobri! Mas você viu? Até o redirecionamento deu certo!!!
Beijo, e obrigada, querida!!!