1.5.12

Constatações Portenhas


Para contrastar com os dois posts anteriores, que foram cheeeeios de fotos, vai este aqui, sem foto alguma, mas com aquilo que Marido e eu consatamos em nossos 9 maravilhosos dias em Buenos Aires.


1. O anormal é lavar e pentear os cabelos! Homens e mulheres andam com o cabelo de um mês atrás, cheio de pedacinhos de sujeira e completamente desalinhados. Um nojo! 

2. Anormal também é não fumar! A quantidade de gente fumando e de bitucas  pelo chão das ruas é incrível! Poucos lugares fechados pedem para não fumar. E PEDEM, não tem qualquer lei sobre isso!

3. Existe um cartel quanto a perfumes na Calle Florida: procuramos o Spirit de Antônio Banderas para levar para Dinah, e em SEIS lojas diferentes, desde a mega store Falabella à rede Farmacity, passando por lojinhas especializadas em perfumes, todas tinham o mesmo preço!

4. Casaco bom é casaco preto! Cerca de 90% das pessoas na rua estão vestidas de preto. Super estranho observar de longe tanta gente vestindo preto, mesmo eu, que tenho uma vasta variedade de cores no guarda-roupa!

5. Uma capital federal SEMPRE é palco de manifestações as mais diversas!  Algumas chegam a ser absurdas... Ontem havia uma reclamando do genocídio de armênios na Turquia! Ao mesmo tempo, na Plaza de Mayo, centenas de crianças numa aula coletiva de xadrez, a coisa mais linda de se ver!

6. Em todo lugar tem puta, mas em BsAs tem mais! 1488 tipos de papeizinhos colados nas paredes e postes oferecendo mulheres (não vi oferecendo homens!) e até um oferecendo "massagistas maduras"!

7. Muitos pedintes. Uma vez,  quando saltamos do taxi, uma mulher abriu a porta para descermos. Achei que ela queria pegar o taxi, mas era uma pedinte, e quando não demos nada, um homem ficou praguejando porque não demos nada à senhora que nos abriu a porta. Também junto aos taxis parados ficam homens fortes e saudáveis, que nos abrem a porta e pedem dinheiro. Um horror! Muitos moradores de rua que "dormem" o dia inteiro. Encontramos até um dormindo sentado num banco da Plaza de Mayo poema mais de duas horas!

8. Muito lixo pela rua,  não só lixo não recolhido pela cia competente, como lixo jogado pelos passantes, como papéis, pontas de cigarro, sacos e copos plásticos...

9. Argentino não trata brasileiro mal. Sempre fomos super bem tratados. Brasileiro não trata argentino tão bem assim, lá no Brasil...

10. A taxa de serviço nunca vem incluída na conta dos restaurantes, mas é muito constrangedor, eles pedem na cara pra incluir, ou dizem: "a taxa de serviço não está incluída" e ficam esperando, como se tivéssemos obrigação de dar. Melhor incluir logo, é um saco esse constrangimento! 

11. Ônibus não recebe dinheiro. Tentamos pegar um, mas o motorista nem nos deixou subir, disse que não recebia moeda (e estávamos oferecendo uma nota de 10 pesos!). Ficamos sem saber até quanto custa a passagem de coletivo. Depois, no embarque do Buquebus, soubemos que custa 1,25 e que recebe moedas ou cartão pré-pago. 

12. A devoção por Evita é um fato! Até no espetáculo de tango, o ponto alto foi "não llores por mim, Argentina", com a cantora vestida e penteada como Evita.


Acho que constatamos mais coisas... Mas o que não foi anotado, ficou perdido! Hoje estamos em Ouro Preto, demos uma scaneada na cidade, com Lile e Léo; entramos por uma rua, saímos por outra, sem repetir nenhuma e rodamos praticamente toda a cidade (mentira, todo o centro histórico)!!! Aguardem post específico!

Nenhum comentário: