13.7.12

A política na internet

Começou! Foi dada a largada para a propaganda eleitoral, e hoje já sofri quando cheguei no centro da cidade e havia uma passeata com carroS de SOM no volume mais alto, gente batucando e gritando. Sofri porque de uns tempos pra cá estou neurótica com barulho.

[Já houve tempo em que minha audição seletiva não me deixava perceber sons que n]ao me interessassem, incluindo músicas de qualidade duvidosa. Mas estou ficando velha, e velha rabugenta.]

Depois da barulheira de hoje, dei mil graças aos céus porque o TSE liberou a propaganda eleitoral na internet, desde que não seja paga. Quanto a isso de ser pago, acho difícil impossível comprovar que não foi paga, e na verdade, se eu faço propaganda, acho até justo receber por isso, mas, enfim…

O post vai por outro viés. A propaganda política na internet é, além de barata, limpa. Não suja muros com pichações nem o chão com papeizinhos  levados pelo vento. E eu só entro nos sites/blogs/perfis que fazem propaganda política SE EU QUISER. Então, que problema há na propaganda política na internet?

Poderia começar falando da enxurrada de fotos de políticos e frases ofensivas nas redes sociais. E isso me incomoda, sim. Especialmente quando recebo propagandas de políticos de outros lugares, nos quais eu não votaria nem se quisesse, pois não posso. E quanto aos da minha cidade, alguns são meus amigos, mas não são meus candidatos. O que fazer?

Dá um pouquinho de trabalho, mas no Facebook tem como filtrar a perturbação política, simplesmente ocultando publicações que poluem a timeline ou chegando ao extremo de cancelar [temporariamente] a assinatura no feed de notícias daqueles que estão exagerando no envolvimento com a campanha.

O problema maior são os cabos eleitorais (ainda é assim que se chamam?) que publicam 1488 vezes a mesma coisa, ou gastam seu tempo discutindo o sexo dos anjos ou ofendendo os outros candidatos. Aí, minha gente, é block sem pena.

Sou a favor da propaganda na rede, mas de forma consciente e clara. Candidatos podem criar um blog, um site, um perfil nas redes sociais… e neles publicar suas propostas de governo, suas idéias e mesmo suas mentiras pra enganar os eleitores. Mas JAMAIS fazer spam mandando os posts por e-mail, ou compartilhando mil vezes as próprias fotos. Contratar alguém habilitado em Comunicação Social (eu, inclusive!) é uma boa idéia para quem quer andar direito, sem sair da linha, sem infringir as leis nem o espaço dos internautas-eleitores.

 

Só pra registrar: Não tenho candidato a prefeito, já tenho para vereadorA. Mas só digo a quem me perguntar.

Nenhum comentário: