5.12.12

No Largo da Memória

Já se vão dois meses que voltamos de viagem, e eu não parei – PAREI – pra contar algumas coisas legais – e importantes – que aconteceram na viagem. Como sempre gosto de querer entender os motivos das coisas, matutei até descobrir.

Negócio seguinte: Teve um dia em Barcelona que saí de casa sem o cartão de memória na câmera. Justo no dia que iríamos nos lugares que geraram mais fotos bacanas: Sagrada Família e Casa Battló. Não foi nenhum problema, porque compramos cartões novos, e deu tudo certo. Acontece que, durante dois dias usei este cartão de 4Gb e depois que ele encheu, passei para um de 16Gb que Line me deu em Londres, gentilmente comprado utilizando o endereço do Ernani e da Ju. Quando cheguei em casa, descarreguei as fotos e… Faltava esse dito cujo, dos dias 25 e 26 de setembro. Morri.

E nessa morte, quase que nem olhei as fotos dos 15 dias maravilhosos que passamos em cidades mágicas – cada uma com a sua mágia particular – que jamais serão as mesmas em meu coração. Pela falta de algumas, deixei de me deliciar com outras. E não é assim a vida? Perdemos tempo focando naquilo que não temos e deixamos de enxergar as riquezas que possuímos. Pois é, eu sou humana, prazer.

Revistei a bagagem, a casa, os bolsos, as bolsas… e nada do bendito cartão. Como “sumiram” três e mais a bateria reserva da câmera, fiquei meio-tranquila, acreditando que havia GUARDADO a galera toda em algum lugar específico, apesar de incerto e não sabido, mas dentro de casa e um dia ele iria aparecer. E não é que… apareceu a bateria extra e os outros dois, mas o sem-vergonha? Necas de pitibiribas, nem sinal!

Já havia morrido, caixão e vela, acabou-se o mundo. Tranquei a viagem na caixinha e era uma frustração só minha. Mas eis que… fui fotografar um evento e quando chego na UESC (a 20 Km de casa), a câmera sem cartão. E agora? Não contaram com minha astúcia! O cartão de músicas do som do carro! \o/ Mais que depressa, formatei e usei os 2Gb sem medo de ser feliz.

No entanto… DDA que se preza sabe que faz as coisas por alguma razão, e sabe que se planeja para os imprevistos, mesmo que na hora em que eles cheguem não se lembre que estava preparada. Rá! Enquanto assistia uma palestra no evento que estava fotografando, fui olhar minha carteira, que tem um compartimento para moedas que nunca tem moedas, mas sempre tem um cartão de memória. E estava vazio. Como assim? COMO ASSIM eu não tinha um cartão reserva? Errr… a carteira tinha outros compartimentos, e num deles… voilá! “O” cartão. Como eu sabia que era “O” cartão? Bem, eu não me lembrava da carinha dele, mas Line tinha comprado um igual, então, eu já havia pedido que ele me mandasse uma foto (segue abaixo) da criança, pra mostrar pra moçaquefazfaxina e ver se ela encontrava. Nem preciso dizer que todos os esforços dessa busca resultaram infrutíferos.

cartão perdido

Mas quando vi “O” cartão na minha frente… apareceram as flores na terra, o tempo de cantar chegou! Nem precisei abrir pra saber que minhas fotos estavam lá! E aí pude revisitar o Largo da Memória e abrir a porta para falar da viagem. Mas agora, só em outro post, que esse aqui ficou enorme.

2012-09-26 11.14.59

Aleluia, Glórias a Jesus!

Nenhum comentário: