18.1.13

PRO-MO-ÇÃO

Post escrito no iPhone enquanto espero impressão de fotos. Relevem eventuais erros de digitação e correções malucas do dito cujo.

Passei na frente da "loja de dez reais" (aquela que vende roupas, bolsas e acessórios a preço único) e a vitrine anunciava PRO-MO-ÇÃO. Fiquei imaginando o que seria a tal PRO-MO-ÇÃO, já que no normal já é "compre 5 e leve 6". Sim, eu tenho costume de entrar em lojas de preço único e comprar nelas, caso algo me agrade, of course.

Pois entrei, e não consegui nem perguntar qual seria a PRO-MO-ÇÃO. E não foi porque a loja estava cheia, super lotada, não. Foi porque entrei e fui passando a mão nas roupas, gosto de sentir o tecido antes de qualquer coisa (modelo, cor, etc).

E... Quase morro de calor quando passei a mão nas três peças que consegui tocar. Coisa grossa, quente de verdade, apesar de ser sem manga ou de alcinha. E entendi o motivo da PRO-MO-ÇÃO, fosse ela qual fosse: estoque encalhado, impossível de ser vendido, considerando que estamos no Nordeste e numa cidade de praia, onde mesmo no inverno, já tem uns três anos que a pessoa mais friorenta do mundo (eu) não reclama de frio.

Saí correndo da loja, antes que alguma vendedora me visse e perguntasse o que eu estava procurando. Porque eu não estava procurando nada, tava só passando o tempo até a hora das fotos ficarem prontas. E não ia assumir meu lado pobre, que entra na loja de dez reais só porque tem uma placa de PRO-MO-ÇÃO na vitrine.

Nenhum comentário: