19.3.13

Da Água.

Acho que nesses quase quatro dias de Paris o que mais me fez ter vontade de correr pra conversar aqui foi a água. E em muitos aspectos. Em tópicos, pra tentar não esquecer nenhum deles.

# Agua de beber. A pessoa mora numa casa que tem uma fonte de água mineral, testada química e biologicamente. Bebe água como se fosse um camelo (180 litros por dia) - e, óbvio, faz xixi na mesma proporção, mas não é esse o assunto. Então, aqui o povo bebe água da torneira numa boa, como se fosse água boa, mas isso é porque eles não conhecem a água lá de casa. Porque está sendo difícil encarar un verre d'eau mesmo grátis em qualquer restaurante. A água pode te ser limpa e potável, mas tem um gosto horrível! E não faz sentido comprar água mineral com o mesmo gosto horrível. Mas a Geórgia já havia me ensinado que o jeito era beber água com gás, fica menos ruim. E assim fizemos em 2010, e agora. So que... Com o lance da cistite, em que eu tinha de beber água como dois camelos, comecei a não suportar mais tanta água com gás, além de ficar imaginando se não iria me fazer mal, tomar os "gases" da água direto... Enfim, estou aqui, experimentando todas as marcas de água possíveis, e ao mesmo tempo encarando o bendito verre d'eau grátis mesmo.

# Chuva. Recentemente assisti com Marido o filme "Meia-noite em Paris", e uma das frases mais marcantes é "Paris fica linda na chuva...". Posso dizer que discordo. Estou morrendo de saudade do céu aberto de Paris, porque foram poucas as vezes que consegui ver o azul. Hoje foi, de verdade, o primeiro dia em que o clima nos deixou caminhar pela cidade, sem desesperar de frio. 5 graus e sem chuva. Porque em todos os outros dias já recebemos os pingos de água do céu que nos fizeram correr pra guardar as câmeras. Até chuvinha de granizo já rolou por aqui. No dia em que cheguei ainda havia muita neve nos telhados e no chão, mas era "velha", de três dias atrás. Mas a chuva de água mesmo está constante. Hoje estávamos curtindo a tarde de sol e decidimos ir no bondinho de MontMartre, entramos no metrô na Assembleie Nacionale, e quando saltamos em Abesses... CHUVA, CHUVONA!!! Demos meia-volta e o bondinho ficou pra amanhã.

# Água do banho. Então eles dizem que a água da torneira é boa pra beber. Sei. Mas não é boa pra pele nem pros cabelos. Ouvi um brasileiro que mora aqui há dezessete anos dizer que os franceses não tomam banho todos os dias porque a água tem muito calcário e resseca a pele (sei, é por isso mesmo, rum.) e os cabelos, então eles tomam uma media de dois banhos por semana. Pula essa parte, falemos de mim, que tomo dois banhos por dia. A pele está dando pra contornar com o Creme Nívea comprado em Londres ano passado, que, de tão denso, não consegui usar no Brasil. Mas o cabelo... Tadinho! Mesmo com xampu e condicionador, está parecendo que levou uma chapinha mal dada, e está todo espetado, especialmente nas pontas. Agora entendi porque parece que ninguém penteia o cabelo por aqui... O meu não toma jeito com pente ou escova, entupi o coitado de creme, e ficou pior ainda. Comprei uma boina, pra variar com as touquinhas, e ir levando minha espetação. Agora a pior parte da água do banho: ARDE NOS OLHOS!!!! E muito!!! Muito mesmo. Quanto mais tento lavar, para tirar o ardor, mais arde... O jeito (descobri na tóra) é parar de lavar (dããã!) e esperar as lagrimas tirarem a água apimentada de dentro dos olhos!!!

Sobre água era isso... Mas tem mais tanta coisa pra contar...vou tentar escrever outro post depois!

PS. Nao consigo colocar fotos direito... Vão perdoando, e se quiserem mais, é so me achar no Instagram, @belmasc.

Nenhum comentário: