24.6.13

Impressões

Não, não são impressões dos protestos, que sobre isso eu tenho falado muito, "ao vivo", via facebook ou Twitter. São minhas impressões em terras sergipanas. Vim a Aracaju pra lamber a cria e ver com meus próprios olhos como ele está instalado, e essas coisas de mãe mesmo.

Estou no bairro de Coroa do Meio, perto da orla de Atalaia, uns dez minutos em linha reta e chego lá. Nesse percurso, parece que estou numa cidadezinha do interior, com casas térreas, cachorros e crianças nas portas, janelas abertas com potes de balas, doces e pipocas. Mercadinhos, ruas tranqüilas, um ou outro carro passa (em alta velocidade, tá, isso não combina!), e  se você esquecer como chegou até aqui, pode pensar mesmo que está no interior.

Mas a visão se torna completamente diferente - e isso é incrivelmente visível - quando se chega à orla. Uma profusão de restaurantes anuncia que ali é lugar para turistas. Inclusive no preço. Só que a orla de Atalaia é tão linda e tão bem estruturada, que nem faz tão faz mal pagar mais caro pelo que se oferece.

No sábado fomos ao Oceanário, que tem parceria com [ou é propriedade do] o Projeto Tamar. A coisa mais linda que vi em termos de natureza nos últimos tempos. Não é grande, mas é bem variado, com tanques de  tartarugas marinhas adultas e bebês, tanque de tubarões (mas só tinha um tubarão-lixa), aquários de água doce e salgada e o mais gostoso de todos: um tanque com uma réplica do ambiente marinho com estrelas, ouriços, pepinos, lesminhas, tudo "do mar", e os monitores podiam pegar e colocar na mão dos visitantes mais interessados. Claro que eu peguei em tudo, e fotografei muuuuito!

(Claro, também, que tentei colocar aqui algumas fotos, mas blogar pelo iPad, além das aventuras com o corretor ortográfico também limita a portagem de fotos... Quem sabe um dia eu consiga? É dose também o fato de que de vez em quando o texto postado some, fica aparecendo somente o início, e é um porre ficar sem saber se está salvo ou não, mesmo tendo clicando em "salvar" a cada parágrafo!)

Preço da entrada no Oceanário: inteira 8 e meia 4 reais. (Paguei meia com minha carteirinha de professor! Yeah!)

Do lado de fora do oceanário, compondo a urbanização da orla, tem vários lagos com pedalinhos, patinhos (muitos!) em volta, pista de skate e circuito de caminhada. Muitas famílias com crianças, tanto de turistas quanto de "locais". Pessoas passeando com cachorros de todos os tamanhos. Vários banquinhos pra sentar e apreciar a vista (não o mar, porque este está lá longe...) ou simplesmente
descansar as pernas. Um kartódromo que ainda não fui ver, mas todo mundo diz que é bem legal.

Da orla pegamos um ônibus que nos deixou na frente do shopping, onde fomos comer, porque não precisa ninguém saber que eu sou turista, né?  Mas pelo jeito vou voltar outras vezes por lá: ainda não vi a Vila do Forró que deve pegar fogo hoje à noite, nem a área reservada para os vendedores de artesanato e outras opções que a estrutura turística da orla oferece.

Domingo pela manhã fui à igreja com o filhote, e foi muito gostoso sentir que aqui existe uma comunidade que acolhe quem chega, que estuda a bíblia e que se une em torno da mesma fé. Uma irmã nos trouxe em casa um escondidinho de charque e um caruru simplesmente deliciosos. Confesso quenão  botei muita fé no caruru, já que ela não é baiana e nem estamos na Bahia, mas... Bateu em muito caruru tradicional, viu?  Deixamos o caruru pro jantar, porque precisávamos comprar arroz... (capítulo à parte: mamãe ensinando ao filhote como cozinhar arroz!)

No final da tarde, voltamos ao mesmo ponto onde fomos no sábado, pra fotografar a super lua. Quase que era uma frustração, pois apesar do dia inteiro ter sido de sol, bem na hora da lua nascer, as nuvens tomaram conta do céu e eu tive que ser muito rápida pra conseguir fazer fotos legais. Tentei colocar link para as fotos que postei no facebook, mas também não rolou. Vou acabar o post por aqui, antes que morra de raiva do iPad e "rume" ele no mangue que tem aqui na frente de casa! 

* Nao estou conseguindo rolar a pagina pra cima para revisar o texto, então, relevem possíveis pegadinhas do corretor maroto!





Ontem, véspera de São João, muita gente nas calcadas, competindo na "animação" (entenda-se:volume do som), assando milho, churrasquinho e crianças soltando fogos.

Nenhum comentário: