14.1.14

Condromalácia Patelar– O fim da saga (ou quase)

Sabe quando você recebe o “relatório do ano” do seu blog e o post mais acessado é um que  já tem mais de QUATRO ANOS e nem corresponde à sua realidade mais? Pois então, é este aqui, sobre Condromalácia Patelar. E olha que já saíram mais alguns depois dele, sobre o mesmo assunto, mas o Pai Google acha que ele é relevante, e não somente é o mais acessado, como também é dos mais comentados, mesmo perdendo os comentários do Haloscan, depois do Disqus.

Tudo bem, concordo que um problema de saúde é algo que chama a atenção, e minha vida nem é tão interessante assim, pra sobressair à tal CP. Só que algumas informações que coloquei nos posts seguintes não são acessadas, como o cadastro no site da Aché que faz o Artolive sair beeeeem mais barato. e, mais do que isso, os resultados que a acupuntura me trouxe. Veja alguma coisa aqui.

Mas, pra quem não gosta de seguir links, e vai chegar aqui por conta dos joelhos, lá vai:

A última ressonância magnética foi feita há 2 anos, e detectou Grau II na CP. Massssss… em fevereiro completam três anos que comecei a frequentar o consultório da Dra. Acupunturista. Durante alguns meses (não lembro quantos exatamente, mas devem ter sido menos de 6), foram sessões semanais. Depois outro tempo em sessões a cada quinze dias e então uma vez por mês, para manutenção. Joelho? Nem me lembro que existe!!!

As dores simplesmente SUMIRAM, subo mais escadas do que subia antes, ando, sento, levanto, sem qualquer desconforto. Nunca mais tomei medicação para os joelhos. Posso dizer que a bendita condromalácia DE-SA-PA-RE-CEU. Junto com as crises super frequentes de enxaqueca (que ainda acontecem, mas muuuuito espaçadamente e não tão intensas).

Em 2012 tive dengue hemorrágica e quase, quase passei desta pra melhor. Mesmo depois de rehidratada, não conseguia me levantar da cama, cheia de dores e com sequelas variadas. Quando consegui levantar e ir à Clínica para a sessão mensal, ela brigou comigo, porque eu tinha que ter dito que estava com dengue, pra ela me atender de emergência. e eu lá sabia que acupuntura atendia “emergência”??? Enfim, tomei as agulhadas de praxe, e depois uma sessão de Mocha, um charuto de artemísia, aceso que aquece pontos essenciais (não me pergunte quais). Resumo da ópera: Saí da clínica pra passear no shopping, acredite se quiser! Depois da dengue voltei a ter sessões semanais, para “levantar” mais rápido.

Preciso abrir um parêntese para dizer que a “minha” Dra. é Médica MESMO e já foi anestesista. Depois decidiu trocar as “agulhas que fazem dormir” pelas “agulhas que fazem acordar”. Estudou na França, na China e faz cursos frequentes no Brasil e no exterior, o que a torna absolutamente confiável. Além do que, minha própria experiência me dá TOTAL confiança no trabalho dela. então, se você chegou aqui por conta da Condromalácia Patelar, recomendo que procure um tratamento com acupuntura – com alguém digno de confiança – e esqueça as agonias de remédios caros, sessões infinitas de fisioterapia e especialmente cirurgia.

É isso.

2 comentários:

Carla Ceres disse...

Que nome mais apavorante, Bel! "Condromalácia" dá medo só de ler. O "patelar" não assusta tanto porque sei que tem alguma coisa a ver com joelho. Agora que já li que você está ótima, vou seguir os links pra descobrir que monstro é esse. Beijos!

bibi disse...

Poxa, fiquei muito feliz com esse seu post... eu ja tinha me perguntado se a acupuntura seria bom para tratar a condromalacia, mas depois esqueci de procurar a respeito. Obrigada pela informação.

P.S você faz academia?