21.4.16

Bela, recatada e...

Tenho certeza que hoje não preciso explicar a hashtag #belarecatadaedolar... mas só para contextualizar para o futuro...

Marcela Temer, no momento quase-possível-primeira-dama, SE o impeachment de Dilma chegar a ser instalado, foi apresentada pela Veja numa matéria como Bela, recatada e "do lar". Além das pérolas machistas e da reafirmação explícita de que a primeira-dama ideal é aquela que não se pronuncia, a matéria incomodou tanto as que não tem este perfil quanto as que são, de fato, belas, recatadas e do lar.

A mulher que é bacharel em Direito, mas "ostenta em seu curriculum vitae um rápido trabalho como recepcionista e dois concursos de miss no interior de São Paulo" é a perfeita. OI??? Mas não se pode cair no outro extremo, de desvalorizar a do lar,  que o são seja por seu desejo e opção, seja por falta de opção. O que nós, mulheres, primeiramente, e os homens, a seguir, precisamos entender, é que  a mulher não é melhor nem pior se for assim ou assado. Ela é melhor se for o que quiser ser, pois assim será plena, realizada, feliz; e gente feliz só acrescenta, não perturba, não puxa o tapete dos outros, não faz mal a ninguém.

Mas voltando ao movimento de ontem, a mulherada resolveu responder com fotos próprias, mostrando que NÃO PRECISA ser #belarecatadaedolar. E foi um dia lindo no facebook, no instagram e em toda a rede. Fotos de mulheres em situações nada usuais, muitas com a intenção mesmo de chocar, outras, como as minhas, mais leves, com intenção de dizer somente: "não sou recatada nem do lar; minha beleza é peculiar, quer você goste ou não; e eu faço o que eu quiser, vou onde quiser, visto o que eu quiser, respeitando as MINHAS crenças, MEUS desejos e vontades."

A matéria da Veja, que li ontem à noite, eu vontade de vomitar. De tão ridícula em termos de sexismo e reforçando a ideia de que a mulher perfeita pra ser a primeira-dama (no caso ainda vice-primeira-dama ou primeira-vice-dama, sei lá!) é essa, quietinha e que não se mete em política, só cuida do filho e vai duas vezes à dermatologista, frequenta tal salão de beleza e já foi miss. Pior... no momento em que se vive um anti-dilmismo (não vou entrar no mérito político), e se mostra a presidente do país como louca e descompensada porque toma rivotril (eu também tomo!!!), juntar uma colocação dessa, tem mais peso ainda.

Mas não vou vomitar, vou é ser a mulher que eu quero ser. Onde eu quiser ser. E como eu quiser ser.
E se você quer ser assim, Marcela... seja! E seja feliz! Mesmo porque, ninguém tem nada a ver com isso!!

E aí estão as minhas fotos... em todas eu troquei o "do lar" por outras coisas. Deixei o "recatada" por pura preguiça de procurar outras palavras, mas fica como ironia mode on.








É isso. Registrado aqui, pra que não se perca nas redes sociais... nem em meu interior.

Trilha para isso: Gerânio, Marisa Monte.



Um comentário:

Silvia Cristina disse...

Maravilhosa. Que post sensacional.
Essa Veja, vou dizer, viu. Tão 1974. Que matéria apelativa.

Beijos