31.1.17

Empatia no consultório


Estou pensando que todos os médicos deveriam ser como o meu, que me recebe após dois anos e meio para fazer revisão ginecológica e não dá bronca.  E diz: "não veio porque não estava sentindo nada, e não tava a fim de perturbar a consulta de quem estava necessitando muuuuito!". Compreende numa boa que eu estava cuidando dos meus e por um tempo não cuidei de mim, mas se eu já estou lá,  pra que dar bronca, não é  mesmo?

Ainda me dá  parabéns pelos kg a menos, pela atividade física e pela paciência e cuidado com meus velhinhos. Não faz anamnese apenas do físico.  Pergunta da vida, do trabalho, da família... dos bebês que ele ajudou a trazer ao mundo e sorri quando me queixo que eles não ligam.

Ele cuida de mim desde o parto de Line e houve época em que brigou com o meu convênio mas nunca deixou de me atender e não  cobrou por isso.

Sempre me recebe de bom humor e me bota pra cima, lembra das coisas que conversamos e pede um monte de exames de sangue  pra eu "levar no endócrino logo, e não perder o embalo" de cuidar de mim.

Ir ao médico deveria ser sempre assim. Cuidando, e não consertando. Experimentando a empatia e saindo feliz. ! [Se a gente reclama das experiências ruins, precisa registrar também as boas!]

♫ Se todos fossem iguais a você,  que maravilha viver... ♫

Nenhum comentário: