13.4.17

Quase "de maior"

13 de abril. Uma data para comemorar sempre... ainda que sozinha, ainda que ninguém fique sabendo que é uma data especial.

Há 17 anos, hoje eu estava acordando da cirurgia em que foi extraída minha tireoide.
Entrei no centro cirúrgico sem ter ideia do que aconteceria em seguida. Se haveria iodoterapia, se as cordas vocais seriam afetadas, e especialmente como iria me encontrar com a "nova eu" que surgia ali.

Nao foi facil. Sair do estado  "ligada em 220" e passar para o "devagar quase parando" foi a pior parte. Acomodar no mesmo "ambiente" a cabeça e o corpo com essas diferenças foi dose.

Mas apesar de estar andando em marcha reduzida, com alterações hormonais que mexeram no metabolismo, nas unhas, no cabelo, na memória... essa "nova  eu"  tem qualidades, sim.

É mais corajosa, mais firme. Mais maleável, ao mesmo tempo. Ouve mais, embora não necessariamente fale menos. Amadureceu a duras  penas. Aprendeu a aceitar as mudanças sem reclamar tanto.

Quem a conhece sem ter conhecido a antiga, não pode ter noção das diferenças, mas eu tenho. E aprendi a amá-la,  mesmo que a gente brigue e eu me chateie com ela de vez em quando.

Parabéns, moça.


  •  Foto com o celular da lua minguante que celebra minha vida.

Nenhum comentário: